Mirae realiza 3 trocas na carteira recomendada semanal; confira a atualização

A Mirae Asset realizou a troca de três ações de sua carteira recomendada semanal, divulgada nesta segunda-feira (21). Os papéis da Natura (NATU3), Transmissão Paulista (TRPL4) e Ultrapar (UGPA3) saíram, cedendo lugar aos da BRF (BRFS3), Localiza (RENT3) e Rumo (RAIL3). Mais uma vez, a semana será pautada pela agenda econômica, que trará como destaques […]

Fator R do Simples Nacional para startups: Entenda como funciona

O Simples é o regime tributário que mais facilita a previsão e a apuração de impostos. Mesmo assim, conta com alguns pontos um pouco mais complexos, como o Fator R para startups do Simples Nacional. Para prestadoras de serviços, entender o funcionamento desse quesito do regime é essencial para os responsáveis conseguirem ter previsibilidade da carga […]

O post Fator R do Simples Nacional para startups: Entenda como funciona apareceu primeiro em Jornal Contábil – Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil.

Erros Contábeis: Pesquisa aponta que 63% das empresas recebem notas fiscais com erros

Uma pesquisa realizada pelo Arquivei revelou que 63% das empresas recebem com frequência notas fiscais com algum erro tributário. “Os erros contábeis afetam o setor financeiro e prejudicam o crescimento da empresa. Muitas, inclusive, fecham suas portas por causa disso ou por falta de apoio contábil na sua gestão”, conta Lucas Ribeiro, sócio fundador da […]

O post Erros Contábeis: Pesquisa aponta que 63% das empresas recebem notas fiscais com erros apareceu primeiro em Jornal Contábil – Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil.

Ações da Yduqs atingem máxima histórica após aquisição da Adtalem

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) – As ações de Yduqs marcaram nova máxima histórica intradia nesta segunda-feira, após a empresa de educação anunciar a aquisição do grupo de ensino superior privado Adtalem Brasil por 2,2 bilhões de reais, com vistas a ampliar a oferta em educação e acelerar o crescimento da companhia.

Por volta das 10h40, as ações da YDUQS subiam 4,3%, a 39,98 reais, liderando os ganhos do Ibovespa, que tinha acréscimo de 0,08%. Na máxima da sessão, os papéis alcançaram 40,86 reais, em alta de 6,6%.

A transação consiste na aquisição de 100% das ações da Adtalem por 1,92 bilhão de reais (Enterprise Value), acrescido da posição líquida pro forma do caixa da Adtalem de 305 milhões de reais, em 30 de junho de 2019, segundo o fato relevante.

A operação, de acordo com a Yduqs implica múltiplo EV/Ebitda de 10x, que passará a cerca de 7x após sinergias decorrentes da aquisição, conforme documento de apresentação a analistas.

Para analistas do BTG Pactual, que têm recomendação ‘neutra’ para as ações, a aquisição traz riscos de ‘upside’ para suas projeções para a companhia.

A Reuters noticiou na semana passada que Yduqs estava em negociações exclusivas para comprar ativos da Adtalem Global Education no Brasil.

A Adtalem, que é o décimo maior grupo de ensino superior privado do Brasil, registrou receita líquida de 875 milhões de reais nos 12 meses encerrados em junho, com Ebitda ajustado de 191 milhões de reais no período.

A base de alunos total das empresas fica em 678 mil alunos após a adição dos 102 mil alunos da Adtalem.

A Yduqs enxerga na operação “significativa complementariedade geográfica, com o fortalecimento de nossa presença nas regiões Norte e Nordeste.”

O valor total da aquisição será pago na conclusão da transação, que depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), sendo que a conclusão é esperada para o primeiro semestre de 2020.

Unidas fecha parceria com divisão do Grupo BMW para oferta cruzada de serviços de mobilidade

A Unidas (LCAM3) comunicou nesta segunda-feira (21) que firmou uma parceria com a Alphabet, uma das divisões do Grupo BMW, para a criação de uma oferta cruzada de serviços de mobilidade que incluem locação de frotas e soluções de TCO (Total Cost of Ownership). Pela Unidas, será possível usufruir de cartões-combustível, pedágio, rastreamento, telemetria e […]

Coty quer vender marcas como Wella e Clairol; avalia opção para unidade brasileira

(Reuters) – A Coty está buscando vender sua unidade de negócios que abriga marcas como Wella, Clairol e OPI como parte de um plano para simplificar suas operações e reduzir sua dívida, bem como está explorando opções para sua unidade brasileira, conforme se concentra em fragrâncias, cosméticos e cuidados com a pele.

A empresa usaria os recursos de qualquer transação para quitar dívidas e devolver o excesso de caixa aos acionistas, informou a empresa em comunicado nesta segunda-feira.

Em julho, a Coty estabeleceu um ambicioso plano de reestruturação de quatro anos que envolvia a redução de camadas e reorganização da operação.

A unidade de produtos de beleza profissionais da Coty, que se concentra principalmente em tratamentos para cabelo e unhas para profissionais de salão de beleza, registrou cerca de 1,81 bilhão de dólares em vendas no ano fiscal de 2019 e representou cerca de 21% da receita total.

A unidade de beleza para consumidores, no entanto, tem lutado principalmente devido ao fraco desempenho das marcas que comprou da Procter & Gamble, incluindo Covergirl e Max Factor, forçando a Coty a registrar bilhões de dólares em baixas contábeis.

“(O anúncio) acelera essa transformação e ajudará … a desalavancar nosso balanço e a melhorar nossa capacidade de investir em áreas com maior potencial de crescimento”, afirmou o presidente-executivo Pierre Laubies.

(Por Aishwarya Venugopal em Bengaluru)

China busca US$2,4 bi em sanções contra caso da era Obama, diz OMC

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) – A China está buscando 2,4 bilhões de dólares em sanções retaliatórias contra os Estados Unidos por não cumprimento de determinação da OMC em um caso envolvendo tarifas da época do presidente Barack Obama, mostrou um documento publicado nesta segunda-feira.

Juízes de apelação da Organização Mundial do Comércio (OMC) disseram em julho que os EUA não cumpriram totalmente a decisão da OMC e podem enfrentar sanções chinesas se não removerem certas tarifas que quebram as regras da organização.

O órgão de resolução de disputas da OMC deu efetivamente a Pequim a luz verde para buscar sanções compensatórias em meados de agosto. Os EUA disseram na época que não consideravam válidas as conclusões da OMC e que os juízes adotaram “a interpretação legal errada nessa disputa”.

A China continua a ser a “transgressora em série” do acordo de subsídios da OMC, disse a delegação norte-americana. Procurada pela Reuters nesta segunda-feira, a missão dos EUA em Genebra não comentou imediatamente.

Os EUA deixaram de atender às recomendações e determinações dentro do período específico e nenhum acordo de compensação foi alcançado, disse a China em seu pedido.

A China foi à OMC em 2012 para contestar tarifas contra subsídios dos EUA sobre exportações chinesas incluindo painéis solares, torres eólicas, cilindros de aço e outros, que a China avaliou em 7,3 bilhões de dólares na época.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Simples Nacional para franquias: Como funciona e quando aderir?

Você sabia que aderindo ao Simples Nacional é possível obter uma desoneração fiscal de até 80%? Conheça essa e outras vantagens deste regime tributário que proporciona maior economia de tempo e de dinheiro e aumente ainda mais a eficiência do seu franchising. Confira! O que é o Simples Nacional? O Simples Nacional é um regime de […]

O post Simples Nacional para franquias: Como funciona e quando aderir? apareceu primeiro em Jornal Contábil – Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil.

Boeing lamenta mensagens de ex-piloto sobre 737 MAX, mas diz que falhas eram em simulador

Por Eric M. Johnson e David Shepardson

SEATTLE/WASHINGTON (Reuters) – A Boeing disse no domingo que entende a indignação com as mensagens vazadas de um ex-piloto de teste sobre o comportamento irregular de um software em seu jato 737 MAX dois anos antes dos acidentes recentes, e acrescentou que ainda estava investigando o que elas queriam dizer.

A maior fabricante de aviões do mundo, que está sob crescente pressão para explicar o que sabia sobre os problemas do 737 MAX antes de entrar em serviço, disse que não tinha conseguido falar diretamente com o ex-funcionário Mark Forkner, mas repetiu as alegações subsequentes de seu advogado de que os problemas estavam relacionados a um simulador defeituoso.

O papel do simulador surgiu como uma questão crucial desde que as mensagens de 2016 foram divulgadas na sexta-feira, já que os investigadores querem saber se movimentos irregulares relatados pelo piloto significam que a Boeing estava ciente dos problemas na própria aeronave ou apenas no simulador.

A FAA ordenou na sexta-feira que o presidente-executivo da Boeing, Dennis Muilenburg, dê uma explicação “imediata” para o atraso na entrega do documento “preocupante”, que a Boeing descobriu há alguns meses.

Nas mensagens de novembro de 2016, o então chefe técnico de pilotos Forkner disse a um colega que o chamado sistema anti-stall do MCAS – o mesmo vinculado a acidentes na Indonésia e na Etiópia – estava “desenfreado” em uma sessão no simulador de voo.

Em outro momento, ele diz: “Eu menti para os reguladores (sem saber).”

“Entendemos inteiramente o escrutínio que esse assunto está recebendo e estamos comprometidos em trabalhar com as autoridades e o Congresso dos EUA enquanto continuam suas investigações”, afirmou a Boeing em comunicado no domingo.

A Boeing disse que não conseguiu falar diretamente com Forkner sobre sua compreensão do documento.

“Ele declarou através de seu advogado que seus comentários refletiam uma reação a um programa de simulador que não estava funcionando adequadamente e ainda estava sendo testado”, afirmou a Boeing.

“O software do simulador usado durante a sessão de 15 de novembro ainda estava sendo testado, em formação e não havia sido finalizado”, acrescentou a Boeing.