Preços dos combustíveis sobem nos postos na semana, diz ANP

SÃO PAULO (Reuters) – Os preços médios dos combustíveis avançaram nos postos nesta semana, com a gasolina e o diesel voltando a subir após terem interrompido uma série de recuos na semana anterior, mostraram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira.

A cotação média do diesel, combustível mais utilizado do Brasil, fechou a semana a 3,525 reais por litro, alta de 0,03%. Foi o segundo aumento consecutivo, depois de uma sequência anterior de três semanas de baixa.

A gasolina ficou em média a 4,326 reais por litro nas bombas, alta de 0,16% frente à semana anterior, quando o combustível havia quebrado uma série de 12 semanas seguidas de retração nos preços.

O etanol hidratado, concorrente direto da gasolina nos postos, marcou a maior alta semanal, de 0,7%, para 2,818 reais por litro.

A Petrobras reduziu os preços da gasolina em suas refinarias nesta sexta-feira em 10 centavos por litro, ou quase 6% para o combustível “tipo A”, enquanto o diesel não teve reajuste.

Os repasses dos ajustes no preço dos combustíveis da Petrobras nas refinarias para ao consumidor final, nos postos, dependem de diversos fatores, como impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis.

None

(Por Luciano Costa)

Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias em R$ 0,10 por litro

Novo preço começa a valer a partir deste sábado (17)

Novo preço começa a valer a partir deste sábado (17)
Igor do Vale/Folhapress – 21.07.2017

A Petrobras reduziu os preços da gasolina em suas refinarias em R$ 0,10 por litro, ou quase 6% para os produtos “tipo A” e cerca de 5% para o produto “premium”, segundo informações publicadas no site da estatal nesta sexta-feira (16).

O reajuste é o primeiro praticado pela companhia desde 1° de agosto, quando as cotações haviam sido elevadas em 4%, ocasião em que houve alta também no diesel, que não teve alterações nesta sexta-feira.

Os preços do petróleo Brent, referência global, acumulam baixa de cerca de 3% desde o último reajuste da petroleira.

Segundo a Petrobras, os preços da gasolina e do diesel vendidos às distribuidoras têm como base a paridade de importação, formada pelas cotações internacionais mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo, além de uma margem que cobre os riscos.

Fraudes financeiras: Mais de 12 milhões foram vítimas, aponta pesquisa CNDL/SPC Brasil

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que 46% dos internautas brasileiros foram vítimas de algum tipo de golpe financeiro nos 12 meses anteriores ao estudo, o que equivale a um universo aproximado de 12,1 milhões de pessoas. Além disso, mais da […]

Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias em R$0,10 por litro, ou quase 6%

SÃO PAULO (Reuters) – A estatal Petrobras reduziu os preços da gasolina em suas refinarias em 10 centavos por litro, ou quase 6% para a gasolina “tipo A” e cerca de 5% para o produto “premium”, segundo informações publicadas no site da estatal nesta sexta-feira.

O reajuste é o primeiro praticado pela companhia desde 1° de agosto, quando as cotações haviam sido elevadas em 4%, ocasião em que houve alta também no diesel, que não teve alterações nesta sexta-feira.

Os preços do petróleo Brent, referência global, acumulam baixa de cerca de 3% desde o último reajuste da petroleira.

Segundo a Petrobras, os preços da gasolina e do diesel vendidos às distribuidoras têm como base a paridade de importação, formada pelas cotações internacionais mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo, além de uma margem que cobre os riscos.

None

(Por Luciano Costa)

The MBA Tour São Paulo terá participação de UCLA, Columbia e mais 17 universidades internacionais

O MBA Tour São Paulo, previsto para acontecer neste sábado (17), contará com a participação de equipes de 19 universidades internacionais. Com o objetivo de conectar potenciais alunos às principais escolas de negócios do mundo, o evento ira oferecer palestras sobre processos de triagem, bem como a possibilidade de realizar entrevistas com diretores de admissão. […]

Em dois dias de turbulência, argentinos sacam U$ 700 milhões 

O peso registrou uma mínima histórica de 65 por dólar

O peso registrou uma mínima histórica de 65 por dólar
BRUNO ROCHA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Após a queda do peso provocada pela derrota do presidente Mauricio Macri, nas eleições primárias no domingo (11), os argentinos começaram uma corrida aos bancos para sacar dólares. Segundo reportagem da agência Bloomberg, foram retirados mais de US$ 700 milhões em dois dias, de segunda e terça-feira.

A vitória esmagadora do candidato da oposição, Alberto Fernández, um duro golpe para as chances de reeleição de Macri, abalou mercados financeiros com receios de que a Argentina possa voltar às políticas econômicas intervencionistas do governo anterior.

O peso registrou uma mínima histórica na segunda-feira, de 65 por dólar, uma queda de 30%. No dia seguinte, na terça-feira, a moeda argentina fechou em queda de 4,29%, a 55,9 por dólar, após atingir 59 no início do dia.

Depois de dois dias de turbulência econômica, o peso abriu mais fraco na quarta-feira, quando Macri anunciou cortes de impostos para trabalhadores e um aumento de subsídios para serviços sociais. Pela manhã, o peso caía 12,3%, a 61 por dólar, marcando a terceira abertura consecutiva de grandes perdas. 

Taurus inicia produção em fábrica na Geórgia

SÃO PAULO (Reuters) – A fabricante de armas Taurus informou nesta sexta-feira que iniciou a produção de uma nova fábrica em Bainbridge, no Estado norte-americano da Geórgia.

Segundo a companhia brasileira, que afirma ser a maior fabricante de revólveres do mundo e a quarta marca de armas mais vendida nos Estados Unidos, a filial tem capacidade para a produção de 800 mil armas por ano.

A unidade produzirá revólveres Heritage e a pistola Taurus modelo TX22.

None

(Por Aluísio Alves)