Skatistas olímpicos festejam mudança de cenário na modalidade


Reprodução/Instagram/@kelvinhoefler

Quatro skatistas brasileiros cotados para representar o País nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e com chances de pódio comemoraram um novo cenário do esporte. Rayssa Leal e Kelvin Hoefler, do street, e Yndiara Asp e Murilo Peres, do park, vão receber um apoio de uma financeira por um ano, com possibilidade de renovar por mais um.

Fique por dentro do Pan Lima 2019

“Fiquei muito feliz com esse apoio e pelo diferencial da parceria, que incentiva a gente a realizar projetos. Minha meta a longo prazo é poder desenvolver o mercado do skate no Brasil. Tenho ideias para tentar revitalizar pistas, até porque o skate foi minha escola de vida”, afirmou Murilo Peres.

Os valores de patrocínio não foram revelados. A intenção da BV é ajudar atletas promissores e expandir a plataforma que foi lançada em novembro do ano passado unindo esporte e educação por meio da inclusão. “O skate está vindo de uma transição de estilo de vida para competição e é uma modalidade que tem muito pouco apoio fora do meio”, explicou Gabriel Ferreira, diretor executivo da empresa.

A presença da instituição financeira numa modalidade de esporte radical evidencia o momento do skate no mundo. Após entrar no programa olímpico, ele está pulando os muros da comunidade do skate e chamando a atenção de grandes empresas de outros setores da economia.

“O fato de o skate entrar na Olimpíada faz ele ser mais respeitado e visto por outros olhos. É muito bom esse apoio de marcas fora do skate, que ajuda a nos dar suporte para viver disso. Está melhorando bastante e vejo até pessoas mais velhas, que antes tinham certo preconceito, começam a te admirar. O cenário está mudando”, comemora Yndiara Asp.

Da natação ao golfe: quem são os galãs brasileiros no Pan de Lima

Richarlison diz que torcida precisa apoiar mais seleção brasileira

Richarlison brigou bastante, mas não conseguiu o gol no Brasil x Venezuela

Richarlison brigou bastante, mas não conseguiu o gol no Brasil x Venezuela
Mauro Akiin/Estadão Conteúdo – 18.6.2019

O Brasil esperava recuperar a interação com a torcida em Salvador, mas saiu da capital baiana novamente distante do público. Depois do empate sem gols com a Venezuela, na Fonte Nova, pela Copa América, o atacante Richarlison afirmou que a equipe necessitar ter mais apoio do público para os próximos jogos na competição, como no compromisso de sábado (22), na Arena Corinthians, contra o Peru.

O atacante disse ter se sentido incomodado com as vaias e também com a postura irônica da torcida de ter apoiado a Venezuela nos minutos finais. “A gente espera apoio até o apoio final e aí de repente a torcida começa a gritar olé para o adversário e a gente não entendeu nada. Mas segue o jogo. Não é normal. Mas vamos seguir focados, que temos um jogo importante”, comentou o jogador do Everton, da Inglaterra.

Leia mais: Tite confunde mérito e nepotismo com filho na comissão

Richarlison atuou somente no primeiro tempo da partida, para depois ser substituído por Gabriel Jesus. As vaias da torcida repetiram o roteiro do jogo de abertura, contra a Bolívia. Mesmo com a vitória por 3 a 0, a seleção brasileira foi alvo de protestos do público. Em Salvador, houve no início do jogo mais apoio, que enfraqueceu ao longo do empate por 0 a 0. “O torcedor paga caro no ingresso e quer ver show, quer ver gol”, comentou.

O atacante avaliou como decepcionante o resultado diante da Venezuela. “Saímos com gosto de derrota, mas a competição é curta”, completou. O Brasil lidera o Grupo A com quatro pontos, ao lado do Peru, mas está à frente por ter um saldo de gols melhor: 3 contra 2.

COSME: Só um jogador tem razão para rir do fracasso do Brasil: Neymar

A seleção brasileira viaja para São Paulo na noite desta quarta-feira. Na quinta, o elenco inicia a preparação para enfrentar o Peru, com um treino no CT do São Paulo. Já na sexta, véspera da partida, o trabalho já será na Arena Corinthians. Para garantir a classificação às quartas de final, a equipe do técnico Tite precisa somente de um empate.

Conheça o calendário dos estádios para a Copa América

Técnico do Paraguai avalia que empate dá ‘confiança e autoestima’

Lance

Lance
Lance

Depois do empate na estreia na Copa América, diante do Qatar, o Paraguai empatou novamente nesta quarta-feira, desta vez diante da Argentina. Os paraguaios tiveram chance de vencer o jogo contra os hermanos, mas desperdiçaram um pênalti no segundo tempo. Mostrando evolução durante a competição, o técnico Eduardo Berizzo destacou em entrevista coletiva que o desempenho diante dos argentinos dá confiança e autoestima para a sequência da temporada.

– Esta partida nos dá confiança e autoestima para a sequência da Copa América. Pela qualidade da Argentina, este foi a nossa melhor partida. Contemos muito bem o meio de campo do adversário. O grande trabalho neste setor simplificou a tarefa dos nossos defensores. Nossa intenção era de que os argentinos não jogassem cômodos – destacou o treinador, completando:

– As melhores chances de gol foram nossas e praticamente não sofremos perigo da Argentina. Somos uma equipe em construção. Além do resultado, temos uma atuação para destacar, a qual mostra que podemos e somos capazes de ir além. Creio que perdemos dois pontos.

Com o resultado, a Argentina chegou ao primeiro ponto, mas segue na lanterna do Grupo B da Copa América pelo saldo de gols. O Paraguai chegou a dois pontos, ocupando o segundo lugar. O Qatar está em terceiro, com um ponto também. As três seleções chegarão na rodada final, no domingo, com chance de classificação – apenas a Colômbia começará já com a vaga. Às 16h de domingo, enquanto hermanos enfrentam qatarianos, na Arena do Grêmio, paraguaios, na Fonte Nova, duelam com os colombianos.

Técnico da Argentina fala em falta de controle do jogo e pede paciência

Lance

Lance
Lance

Após mais uma atuação ruim da seleção da Argentina, no empate em 1 a 1 com o Paraguai, nesta quarta-feira, no Mineirão, em Belo Horizonte, o técnico Lionel Scaloni criticou o desempenho do seu time na primeira etapa. Para ele, a seleção argentina perdeu o controle da partida válida pela segunda rodada do Grupo B da Copa América.

– O primeiro tempo não foi bom. Nos desesperamos em alguns momentos, não conseguimos ter o controle do jogo e nem profundidade. Na primeira vez que eles chegaram, marcaram o gol. E isso nos gerou uma incerteza – disse Scaloni em entrevista coletiva após a partida, antes de completar:

– Nós tínhamos planejado a partida de uma maneira bastante clara, mas não conseguimos fazer, porque perdemos bolas fáceis.

Na segunda etapa, de fato, a Argentina jogou melhor. E Scaloni atribui essa melhora a conversa no intervalo da partida.

– É claro que para uma seleção como a Argentina, que precisa tanto ganhar, o primeiro golpe é duro. No intervalo nós conversamos, mentalizamos que era só um gol. Isso se trabalha, o jogador deve saber assimilar os gols.

Agora, na última rodada da fase de grupos, a Argentina precisa da vitória sobre o Qatar, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no domingo. Para o treinador, é preciso ter paciência.

– Faremos um balanço do que fizemos bem e do que não fizemos. Jogaremos a última partida com toa a ilusão. Nós devemos ter paciência. Caso contrário, é difícil – finalizou Scaloni.

Paraguaios criticam árbitro de vídeo após VAR garantir pênalti aos argentinos

O lance do pênalti marcado para a Argentina, que originou o empate por 1 a 1 com o Paraguai na noite desta quarta-feira, no Mineirão, em Belo Horizonte, motivou muita reclamação dos jogadores paraguaios. O lance teve atuação do árbitro de vídeo, que apontou toque de mão de Piris na finalização de Lautaro Martínez. O árbitro de campo, Wilton Pereira Sampaio, precisou do auxílio do VAR para anotar a penalidade.

“A bola não bateu no braço. Acho que a imagem não estava boa, mas a marcação não foi correta”, disse o meia Derlis González, que perdeu um pênalti pouco depois de Messi, através justamente de uma penalidade, garantir a igualdade no placar para os argentinos neste confronto válido pela segunda rodada do Grupo B da Copa América.

“Estamos melhorando. Acredito que poderíamos ter vencido se não fosse o VAR”, afirmou o meia Miguel Almirón, que correu muito e teve uma bela atuação no duelo desta quarta. Foi dele a assistência que resultou no gol marcado por Richard Sánchez no primeiro tempo do confronto realizado na capital mineira.

As reclamações dos atletas ecoaram na imprensa paraguaia. “Ponto diante da VARgentina”, publicou o ABC Color, um dos principais jornais do país, revoltada com a decisão do árbitro em um lance que acabou sendo determinante para que o Paraguai não conseguisse sair de campo com um resultado melhor do que o empate por 1 a 1.

Autor do gol do Paraguai comemora: ‘Um sonho que se tornou realidade’

Lance

Lance
Lance

Autor do gol do Paraguai no empate com a Argentina na noite desta quarta-feira, Richard Sánchez afirmou ter sido um sonho que se tornou realidade fazer o tento diante de uma seleção qualificada, em disputa pela Copa América. O jogador destacou ainda que os paraguaios tiveram oportunidades de sair de campo com a vitória.

– Foi um sonho que se tornou realidade, fazer o gol em um estádio assim e contra a Argentina. Dedico aos meus familiares. Tivemos chances para ganhar, a equipe se comportou muito bem – destacou o autor do gol, na saída de campo.

Quem também falou na saída de campo foi Almirón.

– Creio que estamos melhorando. É uma seleção nova, um grupo novo. Vamos por um bom caminho – ressaltou o jogador.

Com o resultado, a Argentina chegou ao primeiro ponto, mas segue na lanterna do Grupo B da Copa América pelo saldo de gols. O Paraguai chegou a dois pontos, ocupando o segundo lugar. O Qatar está em terceiro, com um ponto também. As três seleções chegarão na rodada final, no domingo, com chance de classificação – apenas a Colômbia começará já com a vaga. Às 16h de domingo, enquanto hermanos enfrentam qatarianos, na Arena do Grêmio, paraguaios, na Fonte Nova, duelam com os colombianos.

Mina apoia a ida de Falcao García para o Palmeiras: ‘Vai te dar carinho’

Lance

Lance
Lance

Ex-jogador do Palmeiras, Yerry Mina faz campanha para o companheiro de seleção Falcao García jogar pelo Verdão. Após a vitória da Colômbia por 1 a 0 contra o Qatar, no Morumbi, o zagueiro comentou a chance de o atacante atuar com a camisa alviverde.

– Eu (Mina) falo para ele: cara, você é fera! Se quiser jogar no Brasil algum dia, venha ao Palmeiras. O Palmeiras vai te dar muito carinho. Eu já joguei lá e agradeço por tudo o que me proporcionaram – disse o jogador.

Antes da Copa América, segundo jornais colombianos, Falcao García vinha recebendo sondagens do New York City, da MLS. Após a primeira rodada do torneio, o atacante do Monaco falou sobre especulações que ligaram o seu nome a clubes do Brasil – o próprio Palmeiras e o Flamengo foram mencionados.

Com a vitória sobre o Qatar, a equipe comandada por Carlos Queiroz garante a liderança do Grupo B, com seis pontos em dois jogos disputados.

ATUAÇÕES: Messi e Armani se destacam em empate argentino

Mesmo sem grande inspiração, a Argentina buscou empate em 1 a 1 contra o Paraguai, no Mineirão, após sair atrás no marcador. Messi marcou de pênalti, se mostrou participativo e foi o principal nome da Argentina. O goleiro Armani também defendeu pênalti e se destacou. Veja as notas do LANCE! para os argentinos. (Por Gabriel Rodrigues - centraldejogos@lancenet.com.br)

Mesmo sem grande inspiração, a Argentina buscou empate em 1 a 1 contra o Paraguai, no Mineirão, após sair atrás no marcador. Messi marcou de pênalti, se mostrou participativo e foi o principal nome da Argentina. O goleiro Armani também defendeu pênalti e se destacou. Veja as notas do LANCE! para os argentinos. (Por Gabriel Rodrigues – [email protected])
Lance
Armani - 6,5 - Tomou um cartão amarelo em um lance bizarro em que tentou dominar a bola quase no meio de campo e deu um pontapé em um adversário. Porém, salvou a Argentina defendendo um pênalti.

Armani – 6,5 – Tomou um cartão amarelo em um lance bizarro em que tentou dominar a bola quase no meio de campo e deu um pontapé em um adversário. Porém, salvou a Argentina defendendo um pênalti.
Lance
Milton Casco - 6,0 - Demorou para voltar para marcar no lance do gol do Paraguai, mas foi bem no ataque. O lado direito da Argentina foi o mais perigoso durante a partida.

Milton Casco – 6,0 – Demorou para voltar para marcar no lance do gol do Paraguai, mas foi bem no ataque. O lado direito da Argentina foi o mais perigoso durante a partida.
Lance
Pezzella - 5,5 - Foi bem na marcação e na maior parte do tempo. Não deu muitos espaços para os adversários e foi mais seguro que seu companheiro de zaga.

Pezzella – 5,5 – Foi bem na marcação e na maior parte do tempo. Não deu muitos espaços para os adversários e foi mais seguro que seu companheiro de zaga.
Lance
Otamendi - 4,5 - Cometeu um pênalti de forma imprudente quando a Argentina se recuperava na partida. Contou com a sorte e a defesa de Armani.

Otamendi – 4,5 – Cometeu um pênalti de forma imprudente quando a Argentina se recuperava na partida. Contou com a sorte e a defesa de Armani.
Lance
Tagliafico - 5,5 - Foi bem na marcação, mas pouco apareceu no ataque. Foi mal em alguma decisões de tomada e errou passes no setor ofensivo.

Tagliafico – 5,5 – Foi bem na marcação, mas pouco apareceu no ataque. Foi mal em alguma decisões de tomada e errou passes no setor ofensivo.
Lance
Paredes - 6,0 - Tentou algumas boas jogadas no primeiro tempo, mas foi pouco efetivo. Caiu um pouco de produção na segunda etapa.

Paredes – 6,0 – Tentou algumas boas jogadas no primeiro tempo, mas foi pouco efetivo. Caiu um pouco de produção na segunda etapa.
Lance
Lo Celso - 5,5 - Só ficou observando a bola cruzar a área enquanto Sánchez chegava sozinho para finalizar e marcar o gol do Paraguai. Apareceu bem no ataque em alguns momentos.

Lo Celso – 5,5 – Só ficou observando a bola cruzar a área enquanto Sánchez chegava sozinho para finalizar e marcar o gol do Paraguai. Apareceu bem no ataque em alguns momentos.
Lance
Rodrígo De Paul - 5,5 - Chegou atrasado na marcação e deixou Sánchez chegar sozinho na grande área para finalizar para o gol. Mas, depois, se recuperou e ajudou na criação de jogadas.

Rodrígo De Paul – 5,5 – Chegou atrasado na marcação e deixou Sánchez chegar sozinho na grande área para finalizar para o gol. Mas, depois, se recuperou e ajudou na criação de jogadas.
Lance
Pereyra - 5,0 - Tentou marcar Almirón pelo lado direito da defesa no lance do gol do Paraguai, mas deu liberdade para ele cruzar no lance que gerou o gol paraguaio.

Pereyra – 5,0 – Tentou marcar Almirón pelo lado direito da defesa no lance do gol do Paraguai, mas deu liberdade para ele cruzar no lance que gerou o gol paraguaio.
Lance
Messi - 7,0 - Procurou o jogo desde o começo, mesmo bem marcado. Cobrou o pênalti muito bem, sem chances para Gatito. Ainda tentou alguma arrancadas e foi, como de costume, o principal jogador da Argentina em campo.

Messi – 7,0 – Procurou o jogo desde o começo, mesmo bem marcado. Cobrou o pênalti muito bem, sem chances para Gatito. Ainda tentou alguma arrancadas e foi, como de costume, o principal jogador da Argentina em campo.
Lance
Lautaro Martínez - 5,0 - Atuação apagada do atacante. Só teve uma boa chance de marcar, mas cabeceou por cima do gol adversário.

Lautaro Martínez – 5,0 – Atuação apagada do atacante. Só teve uma boa chance de marcar, mas cabeceou por cima do gol adversário.
Lance
Agüero - 5,0 - Lutou bastante e ajudou na pressão na saída de bola do Paraguai, mas a bola pouco chegou para o atacante. Não recebeu nenhuma bola para finalizar.

Agüero – 5,0 – Lutou bastante e ajudou na pressão na saída de bola do Paraguai, mas a bola pouco chegou para o atacante. Não recebeu nenhuma bola para finalizar.
Lance
Di Maria - 5,5 - Procurou o jogo e foi incisivo pelo lado direito, tentando algumas arrancadas e cruzamentos para a área, mas faltou precisão e efetividade.

Di Maria – 5,5 – Procurou o jogo e foi incisivo pelo lado direito, tentando algumas arrancadas e cruzamentos para a área, mas faltou precisão e efetividade.
Lance
Matías Suárez - Sem nota - Entrou no final do segundo tempo e mal tocou na bola.

Matías Suárez – Sem nota – Entrou no final do segundo tempo e mal tocou na bola.
Lance
Lionel Scaloni - 4,0 - Mais um jogo ruim da seleção Argentina. Em alguns momentos, não se percebeu estratégia de jogo, estrutura tática. Suas mudanças não surtiram muito efeito, assim como no primeiro jogo da Copa América. Perspectivas não são boas.

Lionel Scaloni – 4,0 – Mais um jogo ruim da seleção Argentina. Em alguns momentos, não se percebeu estratégia de jogo, estrutura tática. Suas mudanças não surtiram muito efeito, assim como no primeiro jogo da Copa América. Perspectivas não são boas.
Lance
PARAGUAI: Almirón foi o principal nome do Paraguai no jogo. Deu muito trabalho para a defesa da Argentina e fez grande jogada pela esquerda no lance do gol, com uma boa arrancada e cruzando na medida para Sánchez marcar. Já Derlis González (foto) se destacou negativamente. Pouco conseguiu criar e ainda perdeu o pênalti que poderia ter dado a vitória para o Paraguai.

PARAGUAI: Almirón foi o principal nome do Paraguai no jogo. Deu muito trabalho para a defesa da Argentina e fez grande jogada pela esquerda no lance do gol, com uma boa arrancada e cruzando na medida para Sánchez marcar. Já Derlis González (foto) se destacou negativamente. Pouco conseguiu criar e ainda perdeu o pênalti que poderia ter dado a vitória para o Paraguai.
Lance

Pobre Messi, pobre Argentina, que agora necessita ganhar do Qatar

Lionel Messi, sozinho, um herói em busca do impossíve

Lionel Messi, sozinho, um herói em busca do impossíve
@Argentina

Aconteceu em Buenos Aires, dia 16 de Outubro de 1921, na quinta edição do então Campeonato Sul-Americano de Futebol, um triunfo da dona da casa por 3 X 0, o primeiro duelo entre a Argentina e o Paraguai. Daí, até o combate de 12 de Outubro de 2016, em Córboba, eliminatórias da Copa da Rússia/2018, surpresa da visitante “Albirroja”, o placar de 1 X 0 na favoritíssima “Albiceleste“ de Lionel Messi, as duas representações tinham se confrontado em em 101 ocasiões, com larga vantagem da seleção platina, 49 X 19. Nenhuma partida, porém, pareceu mais importante do que a desta quarta-feira, 19 de Junho de 2019, pela Copa América, a atual sucessora do antigo Sul-Americano.

A entrada em campo, o Paraguai inteirinho em anil

A entrada em campo, o Paraguai inteirinho em anil
@Albirroja

Ambas situadas no Grupo B, essencialmente dependiam de um sucesso para sobreviver. Na rodada inicial, empate de 2 X 2 entre o Paraguai e o Qatar, tombo da Argentina, 0 X 2 Colômbia. Como, três horas antes, nesta mesma quarta, a Colômbia havia superado o Qatar por 1 X 0 e, assim se qualificado à fase posterior da competição, não serviria à “Albiceleste” e nem à “Albirroja” uma nova igualdade. Pugna crucial para a Argentina, principalmente, por causa do estranho estigma que persegue Messi, o seu capitão e astro maior, precioso no seu clube, o Barcelona, mas sempre lastimoso quando em honra da sua pátria, conforme eu explanei num texto anterior.

Paraguai 1 X 0, Richard Sánchez

Paraguai 1 X 0, Richard Sánchez
@Albirroja

O desafio se desenrolou no Mineirão, em Belo Horizonte, diante de 35.264 pagantes. Messi, o Leo, e o arqueiro Armani, o Franco, salvariam a Argentina da humilhação devastadora. Menos mal que ficou no 1 X 1. Isso, com a ajuda bem razoável do Paraguai, que teve os 2 X 1 ao seu alcance mas renunciou á vitória. Resultado horrível para a “Albiceleste”, tradicional na sua clássica camisa em listras grossas, verticais, diante de uma rival guarani que não foi “Albirroja”, pois abdicou das suas listras rubras e usou um fardamento inteirinho em anil. Obviamente, não se deve afirmar que uma simples troca de roupa possa desnaturar a personalidade de um elenco. De todo modo, na etapa inicial, a seleção do Paraguai permaneceu pateticamente escondida na sua metade do campo até que, aos 36’, numa investida acelerada pela esquerda, Almirón chegou à linha de fundo e tocou atrás, a Richard Sánchez, que invadia a grande área no mesmo ritmo. Petardo. Paraguai 1 X 0.

O momento em que Messi bateu o pênalti

O momento em que Messi bateu o pênalti
@Argentina

Por quê, mesmo com Messi, e descontados os seus ouros nos Jogos Olímpicos de Atenas/2004 e de Pequim/2008, a “Albiceleste” não levanta um só título desde a distante Copa América realizada no Equador, em 1993? Pode-se responsabilizar a postura sempre estranha e personalista dos seus treinadores. Por exemplo, como compreender a impressionante teimosia do atual, Lionel Scaloni, um ex-lateral de talento mediano, no cargo desde a despedida de Jorge Sampaoli, no pós-fracasso da Copa da Rússia? Pois no prélio contra o Paraguai o patrão da “Albiceleste” não se dignou a escalar, como titular, Angel DiMaria ou Kun Aguero nem Paulo Dybala, absolutamente indispensáveis no PSG, no Manchester City e na Juventus de Turim.

O pênalti que Franco Armani espalmou

O pênalti que Franco Armani espalmou
@Argentina

No intervalo, Scaloni acordou e decidiu colocar Aguero no posto do inútil Roberto Pereyra, meia do pequenino Watford da Inglaterra. E a Argentina melhorou, embora o tento da igualdade, 1 X 1, apenas acontecesse num lance polêmico, um suposto toque de mão de Piris, pênalti que nem o recurso do VAR clarificou indubitavelmente. Aos 56’, Messi converteu, 1 X 1. Alívio platino? Quase. Aos 63’, o estabanado Otamendi derrubou Derlis Gonzalez, o avante do Santos, outro pênalti. Só que Derlis bateu sem tempero e sem convicção, Armani saltou e espalmou. A chance, enfim, de a Argentina se inflamar de vez. Até os acréscimos, em mais sete minutos de drama. Pobre Messi, todavia, precisaria jogar sozinho e lutar sem ajuda. Não deu. Na jornada derradeira do grupo, o Paraguai pegará a Colômbia classificada e relaxada. E a Argentina terá que sobrepujar o Qatar, um perigosíssimo livre-atirador.


Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Twittar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Muito obrigado. E um grande abraço!

Herói da Argentina, Armani fala em evolução e acredita na vaga

Lance

Lance
Lance

Protagonista de um lance um tanto quanto estranho no primeiro tempo do empate em 1 a 1 entre Argentina e Paraguai, nesta quarta-feira, quando tentou dominar uma bola perto do círculo central, deixou a bola escapar e deu um chute em Derlis Gonzáles, o goleiro Armani se recuperou no segundo tempo ao defender um pênalti. Com isso, evitou que a Argentina perdesse mais uma partida pelo Grupo B da Copa América.

– Realmente, eu consegui me redimir nesse pênalti. Era um momento bem difícil para nós, nós conseguimos pelo menos empatar. E, agora vamos nos preparar para o próximo jogo, para nos classificarmos – disse Armani na saída de campo do Mineirão, antes de completar:

– Nós sempre estudamos o adversário, os jogadores. Então, eu tinha mais ou menos uma ideia da onde ele ia chutar.

Para o camisa 1 da Argentina, apesar de não conseguir a vitória, a seleção atuou melhor no Mineirão do que na derrota por 2 a 0 para a Colômbia, na Arena Fonte Nova.

– Nós conseguimos manter a posse de bola, mas faltou um pouco de profundidade nos últimos metros. Acho que fomos um pouco mais precisos com a bola do que no primeiro jogo. Faltou a última parte para criar mais jogadas e converter. Mas tenho fé que vamos conseguir ganhar e classificar – disse Armani.

Na última rodada, no domingo, a Argentina encara o Qatar, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Com apenas um ponto conquistado, os “hermanos” estão na terceira colocação do Grupo B.