Homem faz arrastão em terminal e leva quase R$ 1 mil de cinco ônibus em Natal

Homem faz arrastão em terminal e leva quase R$ 1 mil de cinco ônibus em Natal
Homem faz arrastão em terminal e leva quase R$ 1 mil de cinco ônibus em Natal – Foto Redes Sociais

Crime aconteceu na noite deste sábado (15), no terminal do loteamento Jardim Progresso, na Zona Norte.

Um homem armado fez um arrastão no terminal de ônibus do loteamento Jardim Progresso, na Zona Norte de Natal, e levou quase R$ 1 mil do apurado do dia e do fundo de caixa de cinco ônibus que estavam estacionados. O crime aconteceu na noite deste sábado (15).

De acordo com a polícia, o criminoso chegou sozinho. Ele abordou três motoristas e um ASG que estavam no terminal e anunciou o assalto. O homem recolheu pertences das vítimas e depois foi pegar o dinheiro.

Em seguida, o bandido ordenou que os quatro fossem para a parte de trás do terreno e fugiu a pé. O caso foi registrado na Delegacia de Plantão da Zona Norte.

Estranho silêncio de Neymar: defesa ainda não falou em processar Najila

Neymar foi acusado de estupro, teve patrocínios suspensos, ficou com a imagem mundialmente arranhada, prestou depoimento na delegacia e… Até agora não cogitou processar judicialmente Najila Trindade? O silêncio do jogador ainda é muito estranho mesmo em meio ao caos em que se vê envolvido.

A única defesa pública de Neymar até agora é aquele primeiro vídeo gravado há exatamente uma semana e removido das redes sociais por exibir conteúdo pornográfico. Ali, antes da conversas com a modelo, ele diz que sim é acusado de estupro, “uma palavra pesada, uma coisa muito forte” e quem lhe conhece ‘sabe do seu caráter e índole’. Pouco para tamanho prejuízo.

O camisa 10 da seleção brasileira e do Paris Saint-Germain, cercado por sua assessoria, advogados, staff, parças e o próprio pai, ainda não decidiu (nem se sabe se vai mesmo tomar esse caminho) partir verdadeiramente para o confronto judicial com a modelo que já causou tanto estrago na carreira do jogador. A NR Sports, dona da imagem do jogador, pensa em primeiro “abreviar a conclusão dos procedimentos policiais e comprovar” a inocência do atleta.

“Todas as evidências divulgadas convergem para a inarredável conclusão de que o atleta Neymar Jr. foi vítima de ‘Denunciação Caluniosa’, crime que está sendo apurado pelas Autoridades Policiais”, diz um trecho da nota da NR Sports.

Diante da convicção da parte de quem o defende o jogador, haveria então um motivo para iniciar um processo contra modelo. Por outro lado, a sempre desastrosa ‘justiça com as próprias mãos’, no que diz respeito à divulgação da conversa entre Neymar e Najila já se mostrou uma estratégia errada.

Mais do que isso, por esse motivo o jogador foi levado na última quinta-feira para a Polícia Civil do Rio. Lá, responsabilizou um assessor e um técnico em informática pelo vazamento do nome e de fotos íntimas da moça. Em São Paulo, na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, Najila prestou depoimento de mais de seis horas e saiu de lá para ser levada a um hospital. Também na capital paulista, o jogador deve ser ouvido até a próxima quarta-feira.

“Quero agradecer as mensagens que recebi dos fãs, dos meus amigos e de todos. Me senti muito amado. Só quero agradecer o carinho de todos”, disse Neymar, rapidamente, na saída da delegacia. Neste sábado, nas redes sociais, postou uma imagem de sua tatuagem com a inscrição”tudo passa”.

Como se não bastasse todo o caos em sua imagem, Neymar ainda teve uma ruptura dos ligamentos do tornozelo direito e foi cortado da seleção brasileira que disputa a Copa América, a partir desta sexta-feira (14). O PSG informou que o tempo de recuperação da lesão é de um mês. Já o tempo de recuperação da imagem do jogador… Esse ainda deve demorar.

‘Tento gritar, mas ninguém escuta’

Modelo que acusa jogador Neymar de estupro deu entrevista exclusiva para Record TV. Programa também esteve no hotel em que os dois se encontraram

Em entrevista exclusiva ao Domingo Espetacular, da Record TV, Najila Trindade lamentou o desdobramento do suposto estupro cometido por Neymar. A modelo, que acusa o jogador, disse que sua família está sendo ameaçada e mais: ‘Tenta gritar, mas ninguém escuta’.

Najila recebeu o programa na manhã deste domingo. Diferentemente da modelo que deu entrevistas nos últimos dias, Najila se mostrou abatida, cansada e, por inúmeras vezes, pediu para interromper momentaneamente a entrevista para chorar.

“Está tudo distorcido. Tudo errado, minha vida virou do avesso. Eu tento gritar, mas ninguém me escuta”, disse Najila. “Passei por muitas coisas. Não estou nem me sentindo acusada, mas estou me sentindo invadida. As pessoas estão inventando coisas. Não consigo nem expressar.”

“Teria deixado ele [meu Instagram] desativado desde janeiro e estaria vivendo minha vida em paz. Tudo isso não estaria acontecendo na minha vida”, disse Najila, em outro trecho da entrevista.

A assessoria de imprensa de Neymar disse à reportagem que ‘não vai se pronunciar sobre a entrevista porque a investigação está sob sigilo’.

Confira os principais trechos da entrevista exclusiva:

Sonho em Paris
— Eu não quero falar sobre isso. Acho que, nesse momento, eu quero me retirar. Estou muito abalada psicologicamente por tudo que aconteceu, por toda essa exposição, com a minha família, os meus amigos. Não acho que é a hora de falar nesse assunto. Tem que respeitar meu momento, não estou bem, tomei muitos remédios nos últimos dias… Andei muito dopada. Dei depoimentos sob pressão, dopada, sem me alimentar, então, acho que nesse momento preciso de um pouquinho de tranquilidade e deixar que a justiça faça a parte dela e que parem essas especulações.

Depoimentos na polícia

— [Me refiro] às entrevistas que nem me recordo. Eu estava muito abalada, estava dopada, então assim… Acho que nesse momento não é bom para mim ficar falando, me expondo. Eu preciso me recuperar por que não estou bem. Estou com síndrome do pânico, não durmo, não como.

Saúde e Remédios

— Fiquei essa última semana sem me alimentar. Perdi dez quilos. Para fazer o depoimento, foi o primeiro dia que fiquei sem tomar o medicamento e, desde então, estou sem dormir, sem me medicar. Só estava conseguindo dormir me medicando. Não sei o que é pior. Ficar dormindo ou ficar acordada.

A repercussão
— [Estou tendo apoio] da minha família. Está muito difícil. Já não basta tudo que estou passando. As pessoas querem tirar proveito da minha dor, ficam me seguindo, seguindo a minha família… [Najila pede um minuto].

Venho sofrendo mais crimes. Venho sofrendo… Invadiram o meu apartamento, estão me caluniando, inventando coisas sobre mim… Não fico vendo muito até por que estive muito dopada nas últimas semanas. Mas o que vi foram pessoas que não sabem da minha história, não sabem da minha vida, estão falando. Estão falando sem me conhecer. E não conhecem.

A Najila não essa Najila que está rolando aí. Só estou aqui de pé até hoje porque sei quem eu sou. Sei da mulher que eu sou. Estou com síndrome do pânico, não consigo sair na rua, não consigo cuidar do meu filho, não consigo fazer mais nada do que eu gostava. Não consigo treinar, não consigo fazer mais nada. Eu não tenho condições de aguentar isso. Não tenho condições de estar dando entrevista, das pessoas ficarem me perseguindo. Não tenho. Estou sofrendo. Me deixem quieta na minha. Deixa que as coisas vão ser resolvidas. Só me deixem em paz. A minha família não tem nada a ver com isso. As pessoas estão seguindo como se isso fosse resolver alguma coisa e não vai. Estão expondo, invadindo. Invadindo de uma forma terrível.

Invasão no apartamento
— Todas as minhas coisas de valor até o computador do meu filho… Tudo. Assim… As pessoas estão passando dos limites comigo. Eu não sou de ferro. Eu não sou. O que mais querem de mim? Já estou com traumas suficientes já. Quero ficar em paz.

Vida normal
— Nesse momento não passa nada pela minha cabeça. Tomei muito remédio nos últimos dias, muitos mesmo. Preciso colocar minha cabeça no lugar, parar de me medicar, ficar bem. Preciso ainda ter que lidar com todas essas acusações, calúnias, xingamentos. Tudo isso de uma vez só. Nesse momento, preciso de reclusão. Preciso sair dessa turbulência que me colocaram. Eu não pedi nada disso.

Nunca pense nisso [tamanho da repercussão]. Ficar com síndrome do pânico? Com todo mundo me seguindo como se eu fosse uma criminosa?

Acreditei na lei. Achei que meu nome iria ficar em sigilo, que seria tudo resolvido pela lei. Eu confiei na lei. Apenas nisso. Jamais imaginei que fosse entrar na internet e estar exposta lá para todo mundo. Nunca imaginei. Até por que isso é um crime.

Confiança na lei
— Eu me dopei. Tomei remédio. Tomei muito remédio e vivi na base da medicação. Quando acordava, vinham uns flashes das pessoas falando coisas sobre mim, sobre a minha família. E cada vez queria me dopar mais porque está tudo destorcido, está tudo errado. A minha vida virou do avesso. Eu tento gritar, mas ninguém me escuta.

Eu passei a muitas coisas. Não estou nem me sentindo acusada, mas invadida. As pessoas estão invadindo a minha vida, a vida da minha família e não há necessidade disso. Estou me sentindo como… Não consigo nem expressas, não consigo nem achar palavra para isso.

O pesadelo
— Só sei que minha vida está um pesadelo. A minha vida está um pesadelo e só vem piorando. Desde que me encontrei com ele [Neymar], minha vida está um pesadelo. Eu cheguei no Brasil com quatro quilos a menos. Eu cada vez mais eu vou emagrecendo. E cada vez mais eu desanimo, cada vez mais tudo piora. Cada vez mais as coisas saem do controle e as pessoas não têm noção da dor da minha família, do meu filho.

Não consigo ter minha vida, trabalhar, estudar, as coisas que eu gostava de fazer… Treinar, ir dançar, ver meus amigos. Ficar com o meu filho, ver meu filho… Minha família. Ir almoçar com a minha mãe. Não consigo fazer mais nada.

Redes sociais
— Eu faria diferente? Nunca teria reativado o meu Instagram. Estava desativado. Não teria ativado. Teria deixado ele desativado desde janeiro e estaria vivendo a minha vida em paz hoje. Tudo isso não estaria acontecendo na minha vida.

Não quero falar sobre isso [arrependimento de conhecer Neymar]. Está piorando mais. Faz tempo que estou carregando. Tomo uma atitude por ser forte e tudo vai piorando, tudo vai piorando, tudo vai piorando cada vez mais. Eu não aguento mais. Eu sou um ser-humano. Estou sofrendo e quero que as pessoas parem de perseguir a minha família, parem de me perseguir. Para. Isso não vai resolver. Agora eu vou fazer um tratamento e colocar a cabeça no lugar. Não vai ser fácil. Vai demorar? Vai, mas assédio em cima de mim não vai resolver. Eu não tenho psicológico para ficar falando nesse assunto, para sair na rua e as pessoas ficarem me perseguindo.

O vídeo
— Não quero falar. Em outro momento eu falo. Mas aquilo realmente…

Foi eu que divulguei o vídeo? Que vídeo? Eu não vi qual vídeo foi para o ar. Não quero falar sobre isso.

O Domingo Espetacular também esteve no hotel onde Neymar e Najija se encontraram. Em um dos endereços mais famosos da capital francesa — próximo à famosa avenida Champs-Élysées, pertinho do Arco do Triunfo, ao lado de um dos restaurantes que Neymar mais gosta de frequentar —, o programa reproduziu o que seriam os passos do jogador, da entrada até a suíte 203.

Neymar é acusado de estupro por mulher

O famoso jogador de futebol Neymar Júnior acabou de ser acusado de estrupo. A mulher, não identificada, registrou um boletim de ocorrência nessa sexta-feira, 31, na 6ª delegacia de defesa da mulher, na cidade de  Santo Amaro, na capital de São Paulo.

De acordo com a ocorrência, o crime aconteceu no dia 15 de maio, em Paris. Segundo detalhes fornecidos pelo UOL, a acusação relata que Neymar conheceu a mulher por suas redes sociais, mais especificamente, por seu instagram, e após algumas conversas intermediado por um amigo do jogador, conhecido como Gallo, a vítima receberia a hospedagem e as passagens para conhecer o famoso jogador de futebol. Segundo informações, a moça ficou hospedada em Paris a partir do dia 15 de maio, no Sofitel Paris Arc Du Triomphe, quando o jogador chegou alterado no local, já por volta as 20h.

Segundo o relato do ocorrido, a mulher teria trocado carícias com o jogador de futebol, que passou a ficar agressivo, momento que se iniciou o abuso e a relação sexual sem consentimento com a vítima, que voltou ao Brasil dia 17 de maio e justificou estar com medo de registrar a ocorrência, alegando estar abalada emocionalmente.

O estafe de Neymar foi procurado para esclarecimento, mas alegou que ainda não tem conhecimento do caso e irá se pronunciar quando receber e analisar o documento escrito.

A polêmica envolvendo Neymar gerou revolta na mídia e dividiu opiniões nas redes sociais. “Foi estuprada num dia e só foi embora dois dias depois? Que estranho”, comentou uma internauta. “Ela não é louca ou psicopata suficiente para inventar uma história absurda dessa de um cara como ele, querendo ou não ele tem muito dinheiro porém com o mesmo dinheiro ele se acha que pode ter a mulher que quiser na cama dele”, opinou outra. “Como sempre as pessoas duvidam da mulher e batem palma pra esses lixos”, comentou uma terceira. “Não gosto dele, mas não acredito não”, opinou outro.

Deputado Benes Leocádio propõe punição mais severa para menor infrator

Projeto de Lei altera o ECA para aumentar internação de adolescente que comete crime

O deputado federal Benes Leocádio (PRB-RN) é o autor da proposta de lei (PL 1427/19) que estabelece alterações do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para que menores de 18 anos, apreendidos, tenham prazo de internação socioeducativa igual a pena prevista ao crime cometido.

De acordo com o deputado Benes, o objetivo do projeto é assegurar que o adolescente receba uma punição condizente ao seu crime, dificultando, dessa forma, a reincidência. “A medida socioeducativa de internação prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente é de no máximo 3 anos. Entretanto, é de notório conhecimento que tal prazo é insignificante e não atende os objetivos de educar e reinserir socialmente os menores infratores. Prova disso é que grande parte desses jovens reincidem no crime”, justificou.

Atualmente, o ECA estabelece que os adolescentes infratores podem ficar no máximo três anos internados, independente de ato infracional que pratiquem. “No projeto que apresentamos, se um infrator cometer um crime de homicídio e o juiz aplicar, por exemplo, uma “pena” de 10 anos, o prazo de internação desse infrator será de 10 anos, sendo que, ao completar 21 e ainda não tiver cumprido todo o prazo de internação, a medida se converterá em pena privativa de liberdade ou de restrição de direitos, conforme um exame criminológico determinar”, explicou o deputado.

Deputados debatem Ordem do Dia alusiva ao 31 de março de 1964

Crédito da Foto: Eduardo Maia

O deputado estadual Coronel Azevedo (PSL) fez a leitura do texto do Ministério da Defesa como Ordem do Dia a ser lida nos quartéis em referência a 31 de março de 1964, na sessão plenária desta quinta-feira (28). A Ordem do Dia foi uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, que mandou que o Ministério fizesse as comemorações devidas, segundo afirmou o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros.

O texto diz: “As Forças Armadas participam da história da nossa gente, sempre alinhadas com as suas legítimas aspirações. O 31 de março de 1964 foi um episódio simbólico dessa identificação”. O texto foi antecipado pelo portal G1 e foi lido pelo deputado Coronel Azevedo.

Em contraponto, o deputado Sandro Pimentel (PSOL) disse estar indignado com o discurso lido em plenário. “Exaltar o 31 de março é renegar a história. É esquecer das pessoas que foram executadas pelo regime militar. O Congresso Nacional reconhece que muitas pessoas desapareceram no período. E é indignante ver alguém que diz representar o povo, exaltar esse período”, declarou.

Universitária morta no RN foi estuprada e vítima de feminicídio,conclui Polícia Civil; PM é suspeito

A Polícia Civil informou nesta terça-feira (26) que a estudante universitária Zaira Cruz, assassinada em Caicó, no Seridó potiguar, no carnaval, foi vítima de feminicídio e dois estupros praticados pela mesma pessoa. O suspeito é o policial militar que foi preso no dia 15 de março pela polícia durante as investigações.

As informações foram repassadas pelo delegado Leonardo Germano, titular da Delegacia Municipal de Caicó e responsável pelo inquérito. Segundo ele, a jovem, que tinha 22 anos, foi estuprada pelo PM, primeiramente, no mês de agosto de 2018. O crime não foi denunciado, contudo foi constatado na investigação. Depois disso, no dia 2 de março deste ano, ela foi morta pelo policial.

“No dia 2 de março de 2019, Zaira Cruz encontra-se com ele no carnaval de Caicó. Ele fica com a vítima, dentro de um veículo, entre 2h14min e 3hs da madrugada. Neste lapso temporal, o policial tenta ter relação sexual com a universitária, porém ela nega. Diante da negativa de Zaira, ele a estupra e depois decide matá-la. Por volta das 3hs, Zaira é encontrada morta dentro do veículo, no banco do passageiro”, detalhou o delegado.

Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que o primeiro estupro sofrido por Zaira Cruz, no mês de agosto do ano passado, foi compartilhado pela vítima em conversas com pessoa próxima a ela. A universitária relatava que o policial militar tentou manter relação sexual, sem uso de preservativo e que, após a negativa dela, ele a violentou.

“Diante deste fato, gostaríamos de deixar um alerta sobre a importância das mulheres denunciarem este tipo de violência, para que não haja uma progressão característica do ciclo da violência”, alertou o delegado Leonardo Germano. O policial está preso e é apontado pelos investigadores como responsável pelos crimes. O inquérito agora será remetido à Justiça.

Ezequiel realiza reunião e comemora índices positivos da Segurança em Currais Novos/RN

Para assegurar que Currais Novos continue figurando como uma das cidades mais seguras do Rio Grande do Norte, os representantes da Segurança Pública do município estiveram na manhã da quinta-feira (14), na presidência da Assembleia Legislativa, buscando reforçar a parceria com o mandato do deputado Ezequiel Ferreira (PSDB) em ações específicas para a área.

Com a presença do Secretário Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, coronel Francisco Araújo, foi debatido o projeto de Monitoramento Eletrônico de Currais Novos apresentado pelo Major Moacir e teve assegurado uma Emenda Parlamentar do deputado estadual, Ezequiel Ferreira para que o monitoramento seja efetivado na cidade. A reunião contou ainda com a presença dos vereadores João Neto e Francisco Wilton.

Segundo o deputado as ações conjuntas dos poderes de Currais Novos começam a ser traduzidas em números positivos. A criminalidade diminuiu ao passo que os investimentos nestas áreas receberam uma atenção maior desde o ano de 2012.

“Parabenizo todos os responsáveis pelo desenvolvimento de políticas públicas voltados para esta área, desde aquelas pessoas que doam parte do seu Imposto de Renda ao FIA (Fundo da Infância e do Adolescente) de Currais Novos, passando pelo direcionamento deste e de outros valores obtidos com Prestações Pecuniárias pelo Poder Judiciário, com o auxílio do Ministério Público, a ainda os agentes de segurança que conduzem os projetos sociais e realizam o combate ostensivo à criminalidade”, disse Ezequiel Ferreira, salientando que estará sempre ao dispor para reforçar as ações neste setor tão importante para a qualidade de vida dos curraisnovenses.

Coronel Araújo também se comprometeu a buscar uma solução para o problema dos plantões da delegacia de Polícia Civil em Currais Novos. Ezequiel Ferreira apresentou requerimento ao Governo do Estado para que Currais Novos seja um polo dos Cursos De Formação de Policiais Militares do Estado; o que foi prontamente recepcionado pelo Secretário de Segurança Pública, devendo a alteração na Lei ocorrer nos próximos dias e com isto irá garantir a permanência completa do efetivo quando estes cursos estiverem sendo realizados.