Apple pode ter dado uma pista de quando o novo iPhone será lançado

A Apple ainda não divulgou a data em que Tim Cook, CEO da empresa, subirá ao palco do teatro Steve Jobs, em Cupertino, na Califórnia, para anunciar o novo iPhone, mas uma pista pode ter vazado.

Leia também: Novos rumores reforçam que iPhone terá câmera traseira tripla

A empresa lançou uma nova versão de teste do iOS 13 na quinta-feira (15). As imagens reveladas do sistema operacional usado em iPhones e em iPads exibiam o dia 10 de setembro no calendário. Esse pode ser o dia do evento de lançado dos novos produtos da marca.

Versão de teste do iOS 13 pode ter revelado a data de lançamento do novo iPhone

Versão de teste do iOS 13 pode ter revelado a data de lançamento do novo iPhone
Reprodução

Segundo o site iHelp BR, o mesmo aconteceu no ano passado quando o dia exibido em imagens publicadas do iOS 12 indicaram, por coincidência ou não, o dia da apresentação do iPhone Xs.

Leia também: Brasileiros dominam conferência da Apple para desenvolvedores

Além do mistério de quando será o evento, há também diversos rumores sobre as configurações do novo smartphone. O modelo pode ser o primeiro da marca a ter uma câmera tripla, seguindo as tendências dos concorrentes. As câmeras teriam uma disposição triangular e uma estrutura para acomodar sensores e lentes.

Acredita-se também que o novo iPhone seguirá a sequência numérica e será chamado de 11. Isso porque o “X” é, na verdade, uma referência à representação do número 10 em numeral romano.

Veja também:

Achou o iPhone Xs caro? Conheça as capas que chegam a US$ 3 milhões

A importância da Fisioterapia na Terceira Idade

Praticar exercícios físicos é a saída para o bom funcionamento do organismo e principalmente na terceira idade para prevenção de muitas doenças cardiovasculares.

Pesquisas comprovaram que atividade física libera no cérebro substâncias como Endorfina uma substância bioquímica analgésica, ou seja, analgésico natural, que tem a sua produção no nosso corpo potencializada com os exercícios físicos. A endorfina ajuda a aliviar a dor e ainda regula as nossas emoções que provocam sensação de bem estar.

No Residencial Vovó Lourdes ha uma equipe multidisciplinar que atua conjuntamente e estimula a prática de exercício físico associado a alimentação balanceada, conforme a necessidade de cada idoso, para que tenha um bom desenvolvimento nos exercícios físicos. A Fisioterapeuta Thamyres dos Santos Gattolin cita alguns benefícios do exercício físico na terceira idade:

Bem-estar psicológico e físico
Aumento da imunidade (prevenção de doenças cardíacas e vasculares)
Aumento do HDL (colesterol “bom”)
Diminuição da pressão arterial
Redução de gorduras
Fortalecimento dos músculos
Aumento da massa musculare óssea
Diminui Síndrome do Imobilismo

‘Em todos os meus atendimentos posso ver e sentir em cada paciente a melhora da disposição, melhora nas atividades diárias e bem estar’!

Portanto, podemos afirmar que, a Fisioterapia na Terceira Idade apresenta diversos benefícios, dentre eles, podemos destacar: o envelhecimento com qualidade de vida, o aumento da força muscular, a melhora notável em sua capacidade de locomoção e equilíbrio, bem como a coordenação dessas funções. Também garante, para os idosos, a independência e o conforto na realização das suas AVD’s (atividades diárias).

Fisioterapeuta Thamyres dos Santos Gattolin

Especialista em Fisioterapia

Inteligente para cachorro! Robô entende e aprende comandos de voz

A Florida Atlantic University (FAU) desenvolveu o robô Astro, que combina aprendizado e inteligência artificial para ajudar pessoas e responder a comandos de voz

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques

Os cientistas do Laboratório de Percepção de Máquina e Robótica da universidade norte-americana desenvolveram a estrutura do robô para lembrar um cachorro. Além de ter quatro patas, o Astro tem uma cabeça que foi impressa em uma impressora 3D para ficar ainda mais parecido com um animal

Não apenas se assemelha a um cachorro, como também aprende igual. Devido a sua inteligência artificial, ele é capaz de responder a simples comandos como sentar, ficar de pé e deitar

O Astro é equipado com sensores, radares de alta tecnologia, câmeras e um microfone. O protótipo ainda está em treinamento e segundo a universidade, o projeto custou cerca de 100 libras (R$ 489)

O intuito da universidade é que o robô se torne um cão-guia para ajudar socorristas e também identificar explosivos em missões militares 

Para que o projeto do robô pudesse ser desenvolvido, foram necessários profissionais da neurociência, especializados em TI, artistas, biólogos, psicólogos, estudantes de graduação e pós-graduação da Florida Atlantic University e também estudantes do ensino médio

Na próxima fase do projeto, os cientistas pretendem fazer o robô identificar sinais visuais, detectar cores, reconhecer idiomas e até distinguir um rosto humano

Cientistas tchecos descobrem novo método para extrair água do ar

Projeto Sawer começou em 2017 e contou com a participação de 12 cientista

Projeto Sawer começou em 2017 e contou com a participação de 12 cientista
Pixabay

Uma equipe de cientistas da Universidade Técnica Tcheca (CVUT) descobriu um novo método para extrair água do ar por meio de um equipamento que funciona com energia solar.

O primeiro protótipo do “Solar Air Water Energy Resource” tem capacidade de produzir 100 litros de água potável por dia em qualquer lugar do planeta, inclusive no deserto.

Os especialistas da CVUT acabam de instalar o equipamento em Sweihan, nos Emirados Árabes Unidos, cidade que fica a 70 quilômetros a leste de Abu Dhabi.

Segundo Tomas Matuska, professor de Engenharia Civil da CVUT, o Sawer não é um processo revolucionário, mas sim incomum, já que utiliza equipamentos frequentes na indústria alimentícia para desumidificar o ar.

Os componentes principais do sistema são um dessecador, que acumula moléculas de água em suas paredes. Simultaneamente, um aquecedor de ar produz vapor de água, que se une às moléculas do dessecador. Depois, o material é resfriado e a água volta ao estado líquido.

O projeto Sawer começou em 2017, com a participação de 12 cientistas. Eles foram responsáveis por criar o primeiro protótipo, que ocupa dois contêineres. Um deles recebe a unidade de produção, incluindo o equipamento de tratamento de água destilada para torná-la potável, e o outro abriga as partes responsáveis pelos processos de aquecimento e esfriamento.

Na parte superior dos contêineres, a equipe instalou dois módulos de painel fotovoltaico PVT, com uma superfície total de 120 metros quadrados, o suficiente para produzir a energia necessária para iniciar o projeto.

O objetivo do equipamento é facilitar o trabalho de missões civis ou militares em locais inóspitos que requerem uma fonte de água limpa de forma emergencial. A produção do protótipo custou US$ 400 mil (cerca de R$ 1,6 milhão). Por enquanto, o preço da água extraída é muito caro – mais de US$ 10 (cerca de R$ 40) por litro.

“O teste durará cerca de seis meses porque queremos ter dados do verão, do outono e do inverno”, disse Matuska, que faz parte da equipe do projeto Sawer.

O projeto foi financiado pelo Ministério de Relações Exteriores da República Tcheca para ser exibido na Exposição Universal de 2020, que será realizada em Dubai.

“Existe um grande interesse no nosso projeto, gente dos Estados Unidos até a Austrália. Assinamos um acordo de confidencialidade com uma empresa com negócios na região do Golfo Pérsico”, afirmou o representante do projeto.

Facebook não avisou usuários sobre riscos de ferramenta de login

Facebook é processado por vazamento de dados dos usuários

Facebook é processado por vazamento de dados dos usuários
Dado Ruvic/Illustration/Reuters

Usuários do Facebook que estão processando a maior rede social por uma violação de dados de 2018 disseram que o Facebook não os alertou sobre os riscos associados à sua ferramenta de login único, apesar de proteger seus funcionários, mostrou um documento nesta quinta-feira (16).

O login único conecta os usuários a aplicativos e serviços sociais de terceiros usando suas credenciais do Facebook.

O processo, que combinou várias ações legais, decorre da pior quebra de segurança do Facebook em setembro, quando hackers roubaram códigos de login – ou “tokens de acesso” – que permitiram acessar quase 29 milhões de contas.

“O Facebook sabia sobre a vulnerabilidade do token de acesso e não conseguiu corrigi-lo por anos, apesar desse conhecimento”, disseram os requerentes em documento de um tribunal de São Francisco.

“Ainda mais notoriamente, o Facebook tomou medidas para proteger seus próprios funcionários do risco de segurança, mas não a grande maioria de seus usuários.”

O Facebook não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

O Facebook revelou poucos detalhes desde a divulgação do ataque, afirmando apenas que afetou um espectro amplo de usuários sem especificar de quantos países.

Os hackers conseguiram detalhes do perfil, como datas de nascimento, empregadores, histórico educacional, preferência religiosa, tipos de dispositivos usados, páginas seguidas, pesquisas recentes e check-ins de 14 milhões de usuários.

Para os outros 15 milhões de usuários, a violação se restringiu a nomes e aos detalhes de contato. Além disso, os invasores podem ver as postagens e listas de amigos e grupos de cerca de 400 mil usuários.

Redes sociais não fazem mal, desde que não substituam atividades mais saudáveis, diz estudo

Especialistas recomendam que celulares sejam deixados longe dos quartos depois das 22h

Especialistas recomendam que celulares sejam deixados longe dos quartos depois das 22h
Getty Images

As redes sociais fazem mal para os adolescentes?

A pergunta que tira o sono de pais, educadores e cientistas em todo o mundo recebeu, por ora, uma nova resposta.

E ela é: as redes não prejudicam diretamente os mais jovens, mas podem tirar o tempo que eles gastam em atividades vitais e saudáveis, como dormir e se exercitar.

O alerta vem de pesquisadores do Reino Unido, que recomendam a proibição de celulares depois das 22h e incentivos a atividades físicas.

Segundo o estudo, as meninas são especialmente vulneráveis ​​ao cyberbullying, o que pode levar a problemas psicológicos.

No Reino Unido, nove em cada dez adolescentes usam redes sociais e há uma crescente preocupação com o seu impacto na saúde mental dos mais jovens.

Até agora, as conclusões das pesquisas são contraditórias devido à falta de estudos de longo prazo.

Neste estudo recente, publicado no na revista médica especializada The Lancet Child & Adolescent Health, mais de 12 mil adolescentes em idade escolar na Inglaterra foram entrevistados durante três anos, dos 13 aos 16.

Eles cursavam os anos 9, 10 e 11 (equivalentes ao 9º ano do ensino fundamental e 1º e 2º do ensino médio no Brasil) do sistema de ensino britânico.

O que o estudo fez?

Os adolescentes informaram com que frequência checavam redes como Instagram, Facebook, WhatsApp e Twitter diariamente, mas não quanto tempo gastavam usando-as.

No ano 9, a maioria (51%) das meninas e 43% dos meninos entraram em redes sociais mais de três vezes por dia; no ano 11, a frequência subiu para 69% entre os meninos e 75% entre as meninas.

Já no ano 10, os mesmos jovens preencheram um questionário sobre sua saúde mental e relataram experiências de cyberbullying, sono e atividade física.

No ano 11, os adolescentes avaliaram seus níveis de felicidade e ansiedade.

Na pesquisa, meninas disseram usar redes sociais com mais frequência que meninos

Na pesquisa, meninas disseram usar redes sociais com mais frequência que meninos
Getty Images
O que a pesquisa encontrou?

Os meninos e meninas que verificavam suas redes mais de três vezes por dia tinham pior saúde mental e maior sofrimento psicológico.

As meninas também parecem mais propensas a dizer que são menos felizes e mais ansiosas à medida que os anos avançaram, ao contrário dos meninos.

Os pesquisadores dizem que há indícios de um vínculo forte entre o uso de redes sociais e saúde mental.

Nas meninas, os efeitos negativos são revelados principalmente em perturbações do sono, ciberbullying e, em menor medida, falta de exercício.

Nos meninos, os fatores também têm um impacto, mas muito menor.

Os pais devem se preocupar?

O coordenador do estudo, Russell Viner, professor de saúde do adolescente do University College London, diz: “Os pais andam em círculos quando o assunto é o tempo que seus filhos passam nas redes sociais todos os dias.”

“Mas eles deveriam se preocupar com a quantidade de atividade física e sono dos filhos, porque as mídias sociais estão substituindo outras coisas.”

As redes sociais também podem ter um efeito positivo nos adolescentes e “desempenham um papel central na vida de nossos filhos”, acrescentou.

Também envolvida no estudo, a professora de psiquiatria infantil, Dasha Nicholls, da universidade Imperial College London, completa: “Não é o tempo na rede social em si, a questão é quando ela desloca os contatos e atividades da vida real.”

” A questão é encontrar um equilíbrio.”

'Não é o tempo na rede social em si, a questão é quando ela desloca os contatos e atividades da vida real', diz Dasha Nicholls

‘Não é o tempo na rede social em si, a questão é quando ela desloca os contatos e atividades da vida real’, diz Dasha Nicholls
Getty Images
É diferente para meninos?

A equipe de especialistas diz que, embora tenha observado diferenças no uso de redes sociais entre garotas e garotos, elas ainda não são bem compreendidas.

Também são necessários outros estudos para descobrir de que forma o uso das redes sociaiso pode influenciar o sofrimento psicológico dos meninos.

E quanto ao cyberbullying?

Nicholls diz que os pais devem monitorar as atividades de seus filhos para ter certeza de que não estão acessando conteúdo prejudicial, principalmente à noite.

“Com o cyberbullying, nem a nossa cama é um lugar seguro. Mas, se o seu celular estiver em outro cômodo da casa, você não pode ser intimidado em sua cama.”

Louise Theodosiou, do corpo docente sobre crianças e adolescentes do Royal College of Psychiatrists (organização profissional de psiquiatras do Reino Unido), diz: “Mais estudos são necessários para entender como podemos evitar os impactos mais negativos das redes sociais, particularmente em crianças e jovens vulneráveis.”

“É justo que as empresas de redes sociais contribuam para financiar esses estudos e façam mais para apoiar os jovens a usar a internet com segurança.”

Fake news: Instagram lança recurso para facilitar denúncias de usuários

Instagram lança recurso que permiti os usuários denunciarem informação falsa

Instagram lança recurso que permiti os usuários denunciarem informação falsa
REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

 O Instagram lançou nesta quinta-feira (15) um recurso que permite aos usuários denunciarem publicações que considerem falsas.

A publicação de informação falsa não é proibida em todos os serviços do Facebook, mas a companhia está tomando medidas para limitar o alcance de publicações erradas e alertar os usuários.

O Facebook começou a usar tecnologia de detecção de imagem no Instagram em maio e expandiu seu programa de checagem de informações para o aplicativo.

Os resultados considerados como falsos são removidos de locais em que os usuários buscam conteúdo novo, como a aba “Explore”, do Instagram, e resultados de busca por hashtags.

O Facebook tem 54 parceiros de checagem de informações e trabalha com 42 idiomas, mas o recurso no Instagram está sendo lançado apenas nos Estados Unidos.

“Este é um passo inicial conforme trabalhamos para uma abordagem mais ampla no trato de informações falsas”, disse Stephanie Otway, porta-voz do Facebook.

Mãe confisca celular e jovem usa geladeira para postar no Twitter

Jovem usa geladeira para publicar um tweet durante um castigo da mãe

Jovem usa geladeira para publicar um tweet durante um castigo da mãe
Pixabay

Uma adolescente movimentou a internet após ficar de castigo e ter o celular confiscado. A mãe não contava com a criatividade da garota para continuar conectada à internet. 

No último domingo (4), Dorothy, como a jovem está sendo chamada por contado do nome de seu perfil, fez um tweet de despedida dizendo que ficaria sem celular e que sentiria falta de todos.

Não demorou muito para que ela encontrasse outras maneiras para se comunicar. A primeira tentativa desesperada para se conectar foi por meio de um Nintendo 3DS, mas a mãe descobriu a tentativa de burlar o castigo. Em seguida, Dorothy usou o Nintendo Wii para postar. Dessa forma, os videogames também foram proibidos de serem usados.

Por último, a jovem Dorothy recorreu à geladeira de sua casa para acessar a conta no Twitter e postar. A solução inusitada para o problema teve grande repercussão e muitas pessoas se solidarizaram.

“Eu não sei se isso vai funcionar. Estou falando com a geladeira. Minha mãe confiscou todos os meus eletrônicos de novo”, escreveu Dorothy.

O post feito a partir de um eletrodoméstico com conexão com a internet viralizou rapidamente. Assim, começou a campanha #FreeDorothy, para que ela pudesse voltar a postar em sua conta na rede social. 

O curioso caso de Dorothy teve uma grande repercussão e ela reconheceu o empenho de tantas pessoas em ajudar.

“Eu não sei como consegui tanto apoio, muito obrigado aos meus apoiadores e
@twitter isso é loucura, eu estaria perdido sem você e desistiria. Estou tentando recuperar minhas coisas rapidamente para que eu possa lhe agradecer corretamente!”, publicou Dorothy.

A identidade da menina por trás do perfil não foi revelada. Sabe-se apenas que é uma fã de Ariana Grande, devido ao grande número de postagens sobre a estrela pop.

Essa falta de informação levantou algumas suspeitas de ser um caso criado por alguma empresa para divulgar um novo produto ou serviço. Mesmo assim, o primeiro tweet publicado no começo do mês teve 7 mil compartilhamentos e mais de 37 mil curtidas.