Dor de cabeça pode ser causada por abuso de analgésico, alerta médico

Excessivo de analgésicos pode provocar dor de cabeça

Excessivo de analgésicos pode provocar dor de cabeça
Arquivo/Agência Brasil

Um tipo de cefaleia desconhecida pela população, mas cada vez mais frequente nos consultórios médicos, é a dor de cabeça provocada por uso excessivo de analgésicos. O caso foi apresentado nesta semana no Congresso Brasileiro e Panamericano de Neurologia, na capital paulista.

Leia também: Quatro em cada dez brasileiros sofrem com dor crônica, diz estudo

Segundo Márcio Nattan Portes Souza, neurologista do Hospital das Clínicas de São Paulo, o paciente que sofre constantemente com dores de cabeça e passa a abusar da medicação pode desenvolver ainda mais cefaleia.

“A gente observa que o paciente sabe disso, que começa a diminuir o efeito do analgésico. Então, antes [a dor de cabeça] melhorava completamente, agora não melhora tanto. Antes, ele [o paciente] ficava três dias sem dor depois que tomava um analgésico, agora ele fica meio dia e a dor volta”, disse o médico.

Saiba mais: Como tratar uma crise de enxaqueca

O especialista lembra que, por ser um desconforto comum entre a população, poucas pessoas procuram ajuda médica, o que só piora o problema. “A Sociedade Brasileira de Neurologia recomenda que em casos de mais de três dias com dor de cabeça por mês ou de mais de três meses de dores de cabeça frequentes, é preciso procurar a ajuda de um neurologista”.

Tratamento

Além da conscientização do paciente para eliminar os abusos, existe o tratamento contínuo que evita o surgimento das dores. “Quando você está fazendo o tratamento profilático, você toma uma medicação todos os dias. Em quatro semanas, começa a diminuir a frequência da dor de cabeça. Sem esse tratamento, principalmente para quem tem dor muito frequente, não há como melhorar”, esclarece o médico.

Ele recomenda também uma reflexão sobre os hábitos. Nattan sugere que o paciente invista em atividade física, na redução do peso (para obesos), melhora do sono, no combate ao estresse e tratamento dos sintomas de depressão e ansiedade. A meditação também pode ser uma boa aliada.

Enxaqueca

O especialista explica que a enxaqueca tem influência genética e que o gatilho nem sempre é a causa do problema. Gatilhos são fatores desencadeadores das dores, sendo os mais comuns a ingestão de chocolate, alimentos embutidos, enlatados e bebidas alcóolicas, especialmente o vinho tinto com alto teor de tanino. A cafeina (presente no café, refrigerante de cola e energético) é contraditória, pois pode tanto auxiliar no tratamento, quanto servir como gatilho na piora da dor.

Veja também: Conheça diferentes tipos de dor de cabeça e tratamentos recomendados

Quando a cefaelia dura mais de 15 dias (com oito dias de características típicas da doença), em um mês já pode ser considerada crônica. Essa forma mais grave de cefaleia afeta 15% da população mundial e é responsável por 20% dos dias perdidos no trabalho nos Estados Unidos. Entre os que sofrem de enxaqueca, o abuso de analgésicos também é presente – de 25% a 50% dos pacientes fazem uso excessivo desses medicamentos.

Sinais de perigo

Dor de cabeça pode ser sintoma de uma doença mais grave. “A dor de cabeça ser forte, em si, não significa sinal de alarme. Mas quando a dor de cabeça começa subitamente e, em poucos segundo já está extremamente intensa, é chamada de trovoada. Parece que está explodindo a cabeça. A pessoa não deve marcar consulta e sim ir para o Pronto-Socorro”, alerta o médico.

Saiba mais: Mais de 80% das pessoas que sofrem de dor de cabeça se automedicam, diz pesquisa

Ouros sinais citados por Nattan são desmaio, dor de cabeça diferente do habitual e associada a febre. Além disso, pessoas com mais de 50 anos, sem histórico de dores, devem se preocupar se apresentar os sintomas. Pacientes transplantados ou com doenças imunodepressoras também devem ficar atentos.

Veja também: Alimentos podem ser gatilho para dores de cabeça

Saiba os motivos da sua enxaqueca:

A Inglaterra impacta a Espanha, 3 X 2, na Sevilha da sua adversária

Rashford, o segundo gol de Espanha 2 X 3 Inglaterra

Rashford, o segundo gol de Espanha 2 X 3 Inglaterra
UEFA

Prosseguiu nesta segunda-feira, dia 15 de Outubro, com mais duas partidas pela Série A, a divisão do topo, a cada vez mais interessante Nations League da Europa, a nova competição que a UEFA criou para mobilizar as suas 55 afiliadas, as suas torcidas e, principalmente, os donos das verbas de patrocínio. Na sua formulação, a NL utiliza as “Datas FIFA” com pelejas verdadeiramente oficiais, não apenas aquelas caça-níqueis, sem valor comparativo. Até aqui aconteceram 15 porfias em que se anotaram 36 gols, a média de 2,77. Na Copa da Rússia, ficou em 2,64.

Raheem Sterling, o silêncio no Villamarín

Raheem Sterling, o silêncio no Villamarín
UEFA

Completada a segunda fornada de jogos no Grupo 3, já definido o rebaixamento da Polônia com uma rodada de antecipação, Portugal e a Itália ainda na luta pela topo da tabela, se imaginava que também se aproximariam da sua consolidação o Grupo 2 e o Grupo 4. Condenada à queda pelos seus horrorosos resultados, no Laugardasvoellur de Reykjavyk, a Islândia hospedou a Suíça, ainda na disputa da liderança com a Bélgica. No Stádio Benito Villamarín de Sevilha, proveniente de dois triunfos e necessitada de um mero empate para se consagrar, a Espanha recebeu a Inglaterra à espera de um milagres como o da Itália.

Sterling, incrível, Inglaterra 3 X 0

Sterling, incrível, Inglaterra 3 X 0
UEFA

Pois Gareth Southgate, o treinador dos “Três Leões”, deu o chamado nó tático em Luiz Enrique, o seu equivalente na “Fúria”. Certo de que o rival montaria a sua defesa na linha burra do impedimento, o britânico recuou o capitão e artilheiro Harry Kane e o utilizou como um pivô para as pontadas dos seus serelepes Marcus Rashford e Raheem Sterling. Apenas na etapa inicial, através de Sterling, duas vezes, e de Rashford, o elenco de Sua Majestade abriu o placar de 3 X 0, suficiente para, na teoria, lhe garantir um sossego no tempo final. Só que a Espanha despertou.

Alcácer, mal entrou e fez Espanha 1 X 3 Inglaterra

Alcácer, mal entrou e fez Espanha 1 X 3 Inglaterra
UEFA

Aos 57’, Luiz Enrique trocou o inexiste Saúl Ñiguez por Paco Alcácer, autor de 9 gols nos seus 5 prélios recentes. E em 45”, na primeira ocasião em que tocou na pelota, o avante do Borussia Dortmund da Alemanha desfrutou um escanteio e diminuiu, 1 X 3. A perspectiva de uma reação alucinou a plateia do Villamarín. Evidentemente, ocorreu a retração dos “Três Leões”. Que, pior, depressa exibiram a sua carência de fôlego. A Espanha reclamou um pênalti do arqueiro Pickford em Rodrigo, que não existiu. Faria falta, caso existisse. Pois nos estertores dos acréscimos de 7’ o capitão Sérgio Ramos fez 2 X 3 em favor da “Fúria”. Vice do planeta, a Croácia se transformou na balança do terceto. No desespero para evitar um seu tombo à Série B, em 15 de Novembro receberá a Espanha e, então, no dia 18, visitará a Inglaterra. Imprevisível, este Grupo 4.

Seferovic, da Suíça, um gol na friorama da Islândia

Seferovic, da Suíça, um gol na friorama da Islândia
UEFA

Em Reykjavyk o time dos “Strákarnir okkar”, os “Nossos Garotos”, resistiu por 52’ à pressão dos helvéticos. Então, do flanco esquerdo, Khaka levantou um belo cruzamento diretamente na testa de Seferovic. A bola ainda resvalou no travessão e caiu por detrás do arqueiro Halldórsson. A Suíça ainda dobrou, Michael Lang, aos 67’. No entanto, a estoica Islândia ainda diminuiu aos 81’, Finnbogason, em um lance individual. Espetacular mas inútil. A Islândia na Série B. Suíça e Bélgica decidem a liderança, lá na “Terra dos Queijos e do Chocolate”, no dia 18 de Novembro.


Eis a situação atualizada das quatro chaves da Série A

Wijnaldum e Depay, dois astros da Holanda contra a Alemanha

Wijnaldum e Depay, dois astros da Holanda contra a Alemanha
UEFA

GRUPO 1
06/09 Alemanha 0 X 0 França
09/09 França 2 X 1 Holanda
13/10 Holanda 3 X 0 Alemanha
Classificação
FRA – (2j) 4pg, 2gp X 1gc
HOL – (2j) 3pg, 4gp X 2gc
ALE – (2j) 1pg, 0gp X 3gc

Partidas restantes:
16/10 França X Alemanha
Stade de Saint-Denis, Paris, 80.698 lugares
Na ida, mesmo em Munique, a França várias vezes acuou a Alemanha, que agradeceu ao resgatado arqueiro Manuel Neuer, por não conceder o tento que, então, já significaria, prematuramente, o seu fim.
16/11 Holanda X França
19/11 Alemanha X Holanda


GRUPO 2
08/09 Suíça 6 X 0 Islândia
11/09 Islândia 0 X 3 Bélgica
12/10 Bélgica 2 X 1 Suíça
15/10 Islândia 1 X 2 Suíça
Classificação
BEL – (2j) 6pg, 5gp X 1gc
SUI – (3j) 6pg, 9gp X 3gc
ISL – (3j) 0pg, 1gp X 11gc

Partidas restantes
15/11 Bélgica X Islândia
18/11 Suíça X Bélgica

Biraghi e Barella, dois astros da Itália contra a Polônia

Biraghi e Barella, dois astros da Itália contra a Polônia
UEFA

GRUPO 3
07/09 Itália 0 X 0 Polônia
10/09 Portugal 1 X 0 Itália
11/10 Polônia 2 X 3 Portugal
14/10 Polônia 0 X 1 Itália
Classificação
POR – (2j) 6pg, 4gp X 2gc
ITA – (3j) 4pg, 2gp X 2gc
POL – (3j) 1pg, 3gp X 5gc

Partidas restantes:
17/11 Itália X Portugal
20/11 Portugal X Polônia


GRUPO 4
08/09 Inglaterra 1 X 2 Espanha
11/09 Espanha 6 X 0 Croácia
12/10 Croácia 0 X 0 Inglaterra
15/10 Espanha 2 X 3 Inglaterra
Classificação
ESP – (3j) 6pg, 10gp X 4gc
ING – (3j) 4pg, 4gp X 4gc
CRO – (2j) 1pg, 0gp X 6gc

Partidas restantes:
15/11 Croácia X Espanha
18/11 Inglaterra X Croácia

O premio ao ganhador da Nations League

O premio ao ganhador da Nations League
UEFA

A Nations League se baseia num conceito inusitado. A partir do seu ranking, fechado logo após a fase de grupos das eliminatórias da Europa à Copa da Rússia, separou as suas 55 afiliadas em quatro divisões. Na A, obviamente a das melhores, doze seleções. Na B, doze. Na C, quinze. E, na D, as restantes dezesseis. Em cada grupo das divisões, prélios de ida e de retorno, a se travarem até o dia 20 de Novembro. Os vencedores de cada grupo, em cada Série, então se digladiarão, entre 5 e 9 de Junho de 2019, para a decisão do respectivo campeão. Da D até a B merecerão, ainda, o acesso à categoria logo acima. Os quatro últimos de cada grupo, da Série A até a C, serão rebaixados.

Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Tweetar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Muito obrigado. E um grande abraço!

Eduardo Fischer é anunciado como novo diretor de natação da CBDA

Lance

Lance
Lance

Eduardo Fischer é o novo diretor de Natação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. Atleta olímpico, medalhista em Mundial e formado em direito, ele assume o cargo a convite do presidente da CBDA, Miguel Carlos Cagnoni. Até então, Fischer era o coordenador de Natação da região Sul na Confederação.

– É uma função muito importante dentro da CBDA e vai ser um desafio muito grande. Sempre batalhei e argumentei contra a gestão passada sobre o que eu acreditava que era feito de maneira equivocada por pessoas que, talvez, não estavam tão capacitadas. Sempre tentei fazer com que os atletas tivessem mais proximidade com a Confederação e agora eu, um ex-atleta, tenho a possibilidade de atuar em prol do meu esporte – disse.

Porém antes de anunciar o novo diretor houve um confronto entre o anterior. De acordo com o blog Olhar Olímpico, o ex-diretor, Cordani, que saiu no mês passado, teve embates com o presidente sobre um pagamento, que supostamente, Miguel Cagnoni teria feito a uma pessoa com quem o cartola tem relação pessoal. Além disso, queria mudar de patamar, porém foi impedido.

– Lutei para publicação irrestrita de salários, balancetes e contratos. Não tive sucesso em nenhuma dessas lutas. Mas o pior foi descobrir que nem mesmo eu, diretor geral de esportes, podia ter essas informações – reclamou ao Blog.

Deste modo, Cordani pediu uma reunião junto ao presidente para apresentar uma carta de renúncia. Ele estava insatisfeito com àquela situação que muito tempo durou.

– No momento em que eu estou emprestando a minha credibilidade para essa gestão, e as informações me são negadas, eu me perguntei se valia a pena continuar. E avaliei que não valia – disse.

O presidente da CBDA, Miguel Cagnoni, desejou boa sorte ao novo diretor de Natação. Ele acredita que o sucesso pode vir, já que teve bom desempenho em sua carreira de atleta.

– O Fischer teve uma carreira gloriosa como nadador e, mais do que isso, é um profissional que sempre lutou para que o esporte melhorasse. Por isso acredito que ele possa fazer um ótimo trabalho na CBDA e desejo toda sorte do mundo ao nosso novo diretor – explicou o presidente.

Fischer foi recordista sul-americano no nado peito, medalhista no Mundial de 2002, em Moscou, além de ter duas medalhas em Jogos Pan-Americanos (100m peito e 4x100m medley). Agora ele assume o cargo de executivo da modalidade onde teve sucesso durante toda a sua carreira.

Para o Cruzeiro, o único belo horizonte é a Copa do Brasil

Lance

Lance
Lance

Nem doeu tanto assim. Os atletas do Cruzeiro, ao fim do jogo, lamentaram o placar diante do Vasco, pelo Brasileirão, mas demonstraram claramente como anda o clima no clube com uma única visão no horizonte: a final da Copa do Brasil.

A derrota para o Cruzmaltino foi comentada pelo goleiro Rafael, citando a busca pela vitória celeste, mas reforçou a concentração do time para a grande decisão.

– Nós estávamos jogando bem, voltamos melhores que o 1º tempo. Tomamos um gol, o time deles cresceu. Mesmo assim tivemos chance de empatar o jogo. Mas veio o segundo gol e a expulsão e ficou muito difícil de reverter o placar. Agora é passar a bola para quarta-feira. Temos uma decisão muito importante, temos que levantar o ânimo, disse.

Rafael Sóbis, que foi o capitão do time em São Januário, falou sobre as chances da partida, lamentou as oportunidades que não resultaram em gol e falou sobre a partida de quarta-feira, pela Copa do Brasil, na Arena Corinthians, quando o Cruzeiro tem a chance de conquistar o hexacampeonato da competição.

– Até o segundo gol estávamos melhores no jogo. Não é fácil uma equipe que joga pouco manter o ritmo igual mantivemos, jogando contra um time forte, com uma camisa pesada. Não perdemos chances. A bola passou perto, o goleiro defendeu, e em duas bobeiras eles fizeram dois gols, mas merecíamos mais, explicou Sobis, que emendou em seguida:

– Temos uma vantagem pequena, importante, que era o nosso pensamento no primeiro jogo. Pessoal que ficou lá está se preparando, dedicando, para coroar essa caminhada desde o início do ano com o título, completou.

Fluminense mandará jogo contra o Atlético-MG no Nilton Santos

Lance

Lance
Lance

A CBF confirmou, nesta segunda-feira, que o duelo entre Fluminense e Atlético-MG acontecerá no Estádio Nilton Santos, neste domingo, às 16h. O jogo é válido pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo estava marcado para o Maracanã inicialmente, no entanto, o local passará pelo processo de montagem para receber o show do cantor Roger Waters no próximo dia 24.

Por conta desse evento, o Flu já precisará atuar no estádio no confronto pelas quartas de final da Sul-Americana, contra o Nacional (URU), exatamente no dia da apresentação do ex-Pink Floyd.

Na última partida disputada no estádio, o Fluminense teve novo prejuízo na temporada, com um público de 7.922 pagantes e déficit de R$ 287.493,46. O aluguel, porém, foi mais barato do que o cobrado anteriormente, ficando acordado em R$ 100 mil.

‘Até com uma perna ele estará na final’ diz Mano sobre Arrascaeta

Camisa 10 deve ser opção para vaga de Rafinha (camisa 18)

Camisa 10 deve ser opção para vaga de Rafinha (camisa 18)
Warley Neves Soares

Depois de reclamar sobre a existências de jogos do Brasileiro no meio de uma decisão importante, como a Copa do Brasil, o técnico Mano Menezes poderá, finalmente concentrar suas últimas forças na decisão contra o Corinthians, nesta quarta-feira, dia 17, em São Paulo. O comandante da Raposa desenhou algumas ações que fará segurar o Timão e conquistar o sexto título celeste na competição.

ARBITRAGEM: CBF define árbitro da final entre Corinthians e Cruzeiro

Uma das medidas, surpreendendo a todos, é a volta de Arrascaeta para pelo menos ficar no banco de reservas do time, mesmo se chegar sem condições de jogo. O camisa 10 está com a seleção uruguaia e poderá jogar o amistoso com o Japão, nesta terça-feira, em Saitama.

 

 

— Ele vai ficar no banco, certamente. Se tiver inteiro, cansado, com uma perna só… Ele vai ficar no banco. É um momento de sacrifício de todo mundo. E também de reforçar a confiança que temos nesses grandes jogadores. Esses momentos são para eles, eles são os protagonistas. Eles sabem o que pensamos sobre eles. Se puder vir antes, melhor. Mas estamos preparados para deixá-lo no banco, sim, para uma necessidade, uma emergência ou até para brindar tudo aquilo que ele ajudou a construir nessa Copa do Brasil para jogar alguns minutos, disse.

Mano também falou sobre a possibilidade de ter Fred entre os relacionados e do substituto de Egídio, na lateral-esquerda. Marcelo Hermes é o especialista da posição, mas Lucas Romero poderá atuar no setor, pela sua melhor condição defensiva.

PUNIDO:‘Nós perdemos, mas ele perde mais’, diz Mano sobre Sassá

— Vamos ser coerentes com tudo que temos feito até aqui. Hoje tem outros jogadores que estão à frente de Fred. Mas isso não quer dizer que ele não possa ficar no banco e, com sua experiência, se houver necessidade de um jogador com sua característica, para colocar uma bola na frente, para disputar uma bola entre os zagueiros, pode ser ele o jogador adequado para fazer alguns minutos finais, explicou, falando em seguida da armação do time.

— Para quarta-feira, eu ainda não tenho nenhuma ideia. Temos que trabalhar as opções, como estou fazendo, e estou satisfeito com os treinos que estamos fazendo. Fizemos no sábado, fizemos no domingo com os jogadores que ficaram em Belo Horizonte. Os jogadores estão muito imbuídos, concentrados naquilo que precisamos fazer para fazer um grande jogo na quarta-feira, fazer uma finalíssima de alto nível, concluiu Mano Menezes.

O Cruzeiro joga por um empate contra o Corinthians para sagrar-se hexacampeão da Copa do Brasil, se tornando o maior vencedor da história da competição.

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Henrique e Cássio: um deles vai levantar o troféu da Copa do Brasil

Sem Modric e Rakitic, Croácia vence Jordânia em amistoso

Atual vice-campeã mundial, a seleção da Croácia derrotou a Jordânia por 2 a 1, nesta segunda-feira, em amistoso disputado em Rijeka, diante de sua torcida. O time croata, em processo de renovação, não contou com dois dos seus principais jogadores: os volantes Ivan Rakitic, do Barcelona, e Luka Modric, jogador do Real Madrid, eleito recentemente o melhor do mundo.

Sem a dupla, o técnico Zlatko Dalic apostou num meio-campo com Marko Rog, Milan Badelj e Mario Pasalic. Outras ausências importantes foram o meia Perisic e os laterais Vrsaljko e Strinic – além deles, o goleiro Subasic e o atacante Mandzukic se aposentaram da seleção após a Copa do Mundo da Rússia.

Em compensação, a zaga era a mesma da final do Mundial, com Lovren e Vida. Este, por sinal, foi o responsável por abrir o placar. Aos 23 minutos de jogo, após cobrança de escanteio na área, o defensor escorou de cabeça e mandou para as redes.

Na etapa final, o segundo gol croata também saiu em lance de bola parada. Aos 18, Mitrovic escorou cobrança de falta na área e aumentou a vantagem dos anfitriões. Quando a fatura parecia garantida para o lado dos croatas, a Jordânia descontou, dez minutos depois. Baha Faisal cobrou falta por cima da barreira e contou com um desvio para enganar o goleiro Dominik Livakovic.

Este foi o segundo jogo da Croácia nesta rodada de datas Fifa, sempre alocadas em duplas no calendário da temporada. Na partida anterior, os croatas empataram sem gols com a Inglaterra, na quinta-feira passada, na mesma cidade.

Mais cedo, nesta segunda, a Arábia Saudita empatou com o Iraque por 1 a 1, na cidade de Riad, mesmo local em que a seleção saudita perdeu para o Brasil por 2 a 0, na sexta-feira. Em outro amistoso, a Austrália goleou o Kuwait por 4 a 0, na casa do rival. Os gols foram marcados por Khaled Ebrahim Hajiah (contra), Apostolos Giannou, Tom Rogic e Awer Mabil.

Haddad: não podemos correr risco de declarar guerra à Venezuela

Haddad deu entrevista para uma rádio de SP

Haddad deu entrevista para uma rádio de SP
Paulo Whitaker/Reuters – 15.10.2018

O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, atacou o que ele chamou de tentativa dos Estados Unidos de influenciar a América do Sul. A fala de Haddad veio após questionamento, em entrevista à Rádio Capital, nesta segunda-feira (15) sobre os desafios de governos vizinhos, como a Venezuela.

Fernando Haddad volta a admitir erros de governos do PT

“Você não tem dúvida que nossa preocupação com nossos vizinhos tem de ser permanente. Não podemos correr o risco de declarar guerra à Venezuela ou permitir a instalação de uma Base dos Estados Unidos no Brasil”, afirmou Haddad, em referência a uma negociação entre os governos brasileiro e dos EUA para utilizar a Base de Lançamento de Alcântara, da Força Aérea Brasileira, no Maranhão.

Na sua resposta, o candidato do PT fez referência aos conflitos permanentes no Oriente Médio, que decorreriam das brigas pelo petróleo. “Não podemos permitir que os americanos se metam na América do Sul. Se a Venezuela está com problemas, não é a guerra a solução. Temos de chamar a ONU. Chegar na Venezuela com uma solução democrática. Sou contra o militarismo”, disse Haddad.

RealTime Big Data: Bolsonaro tem 59% e Haddad, 41% de votos válidos

Reformas

O candidato do PT reforçou suas críticas à reforma trabalhista, aprovada pelo governo de Michel Temer, que seria responsável por “prejuízos enormes”. “Bolsonaro votou a favor dela”, alfinetou Haddad. “Nós não vamos ser País forte com trabalhador fraco. País forte tem de contar com trabalhador com renda”, disse o petista.

A pauta da Previdência, entretanto, ganhou o apoio de Haddad. “Os chamados regimes públicos precisam ser reestruturados”, disse, apontando o desafio de Estados como Minas e Rio em arcar com sua folha de pagamento. “Agora nossa meta final é ter regime único de Previdência. Porque é o justo”.

General da equipe de Bolsonaro quer nova bibliografia nas escolas

 Aléssio Ribeiro Souto

Aléssio Ribeiro Souto
Reprodução/Facebook

À frente do grupo que elabora propostas para o Ministério de Educação de um eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL), o general Aléssio Ribeiro Souto diz que “é muito forte a ideia” de se fazer ampla revisão dos currículos e das bibliografias usadas nas escolas para evitar que crianças sejam expostas a ideologias e conteúdo “impróprio”. Ele defende que professores exponham a verdade sobre o “regime de 1964”, narrando, por exemplo, mortes “dos dois lados”.

RealTime Big Data: Bolsonaro tem 59% e Haddad, 41% de votos válidos

Ex-chefe do Centro Tecnológico do Exército, foi chamado a coordenar debates de ciência e tecnologia, mas acabou acumulando Educação “por afinidade”. Contrário à política de cotas, defende a “prevalência do mérito” e diz que, se a ideia for aceita por Bolsonaro, serão estudadas medidas “não traumáticas” para substituir as regras. “Querem atribuir a Bolsonaro condição ditatorial. É chamado até de nazista. É mentira deslavada”, disse ao jornal O Estado de S. Paulo.

Bolsonaro diz que quer fazer uma transformação cultural no país

Qual será o desenho do MEC?

Preconizamos que Esporte e Cultura devam estar dentro do Ministério da Educação. Ah, mas o pessoal da cultura é contra. Isso é besteira. O Estado pode ser pequeno. O importante é funcionalidade e gestão.

Qual é a mudança prioritária?

Levantamos 14 “ideias básicas” para Educação. Elas incluem valorização dos professores, motivação dos alunos, alteração da formação das licenciaturas, revisão completa dos processos educacionais da base curricular, efetivo emprego dos recursos. Há dinheiro indo para o ralo da corrupção e há má gestão pura e simples. Você não pode dobrar o recurso para a Educação, mas pode, a cada ano, aumentar 0,5% mais do que a média do orçamento.

Bolsonaro diz que essa é a última chance para mudar o Brasil

Preveem reorganização na destinação dos recursos?

Em um País razoável, 30% ou 40% dos recursos são destinados ao ensino superior. Aqui, a matriz deve ter chegado a 70% para ensino superior. Precisamos alterar, mas não se faz facilmente. Teria de mandar metade das pessoas embora. Não é assim que as coisas acontecem, não queremos regime ditatorial. Na democracia é diferente, tem de ser pactuado, aos poucos. Para ter transformação efetiva da sociedade, como ocorreu no Japão e na Finlândia, precisamos de 60 anos. Mas tudo tem de ser desencadeado agora. Valorizar professor tem de começar agora.

‘Mudaremos juntos a direção do Brasil’, diz Bolsonaro

Melhorarão a remuneração?

A remuneração é quinto ou sexto tópico a se considerar. Pagar muito bem é uma absoluta impossibilidade agora. Antes disso, precisa do discurso de que o magistério é importante, dar formação aos que já estão, e resgatar autoridade do professor. Tem de ter a ideia de que, depois dos pais, reverenciamos os professores. É absolutamente inaceitável a agressão ao professor e aos pais. Tem de ser reprimido.

Como fazer isso?

Dentro dos meios democráticos e legais. Aquele que ameaçar agredir o professor, aquele que dirigiu uma palavra mal dita ao professor, tem de haver repressão. Democrática.

E como é?

Tem de ser retirado da sala. Se agredir, polícia. A polícia leva as crianças e atua através do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Para adultos, polícia pura e simples. Delegacia. Não pode haver dúvida.

Como fica a política de cotas?

Uma das ideias é a prevalência do mérito. O País deve chegar ao momento que não precisará de cotas. É remendo. Mas eliminar agora? É preciso equilíbrio. Que tal ensino complementar aos desassistidos? Pobre branco de olhos azuis não tem direito? Se a ideia da prevalência do mérito for acolhida, estudaremos soluções não traumáticas. Querem atribuir ao Bolsonaro a condição ditatorial. É chamado até de nazistas. É mentira deslavada.

Como ficam Prouni e Fies?

O financiamento precisa continuar. Os mais talentosos entre os pobres têm de ter acesso ao nível superior. O Prouni requer estudo, mas não vejo razão para pensar em acabar.

Por que revisar o currículo?

É muito forte a ideia de revisão dos processos curriculares, das bibliografias. Isso precisa ser muito cuidado para não termos absurdos que vimos na TV, como a distribuição de livros que deixam qualquer mãe estupefata. Determinadas coisas são responsabilidade dos pais. A escola não tem de influenciar para uma direção ideológica. Estamos colocando revisão completa dessas questões curriculares.

O senhor se disse a favor de retirar livros sem “a verdade” sobre 64.

A única coisa que vou falar sobre 64 é que só aceito ler e debater aspectos do regime à luz da liberdade e de praticar a verdade, a coragem e a ética.

O senhor entende que os livros erram ao tratar como golpe?

A questão de golpe é a menor. Há quem diga que o afastamento da Dilma, feito no âmbito do Congresso, foi golpe. Mas sonegar para crianças o que ocorreu? Não concordo. Quando você trata dos problemas e das mortes – e guerra traz mortes -, tem de tratar dos dois lados. Existe a verdade. Ela nem sempre tem sido retratada.

Como pensa em atacar isso?

Orientar toda a cadeia de gestão, até o professor na sala de aula, que nós buscamos a paz e a harmonia através da democracia e de praticar a verdade. E não usar mentira e canalhice. E aí é a mudança que o Bolsonaro ofereceu ao povo e que foi acolhida majoritariamente.

Nations League: Islândia perde para a Suíça e é a primeira rebaixada

Lance

Lance
Lance

Não deu para a Islândia. Depois de fracassar na Copa do Mundo, mais uma derrota para o futebol do país. Jogando no estádio Laugardalsvöllur, em Reykjavík, capital do país, os islandeses perderam nesta segunda-feira para a Suíça, por 2 a 1, e deram adeus à chance de se manter na elite da Uefa Nations League. Com três derrotas em três jogos no Grupo 2 da Liga A, apenas um gol feito e 11 sofridos, a seleção vai jogar a Liga B em 2020.

Os gols só saíram no segundo tempo. Seferovic recebeu belo cruzamento de Xhaka e cabeceou forte para abrir o placar, aos sete. Cinco minutos mais tarde, levantamento da direita, passe para o meio da área e, após furada de Shaqiri, Lang mandou para as redes. Aos 36, Finnbogason soltou uma pancada de longe e marcou um golaço, diminuindo o placar.

Com o gol, a Islândia passou a ter as melhores oportunidades, visto que o empate bastaria para seguir dando chance de permanência. Mas o goleiro Mvogo não queria deixar a vitória da Suíça escapar. Nos acréscimos, Sigurdsson teve a oportunidade do segundo gol, mas o zagueiro Schar tirou a bola em cima da linha. Bjarnason, em chute da meia-lua, quase empatou, mas a bola passou raspando a trave de Mvogo.

Ao fim do jogo, os jogadores da Islândia, queridinha do mundo após a Euro-2016, lamentaram bastante a queda na nova competição da Uefa.

Apesar do rebaixamento, a Islândia ainda tem mais um compromisso pela elite. Dia 15 de novembro, a seleção encara a Bélgica, fora de casa. Três dias mais tarde será a vez da Suíça encarar os belgas, no jogo que valerá vaga para a semifinal da competição.

OUTROS RESULTADOS DA LIGA DAS NAÇÕES

Liga A
Espanha 2×3 Inglaterra

Liga B
Bósnia 2×0 Irlanda do Norte

Liga C
Estônia 3×3 Hungria
Filândia 2×0 Grécia

Liga D
Berlarus 0x0 Moldávia
Luxemburgo 3×0 San Marino