Traição, sexo e assassinato: 2 meses depois, veja como está o Caso Daniel

O meia Daniel era jogador do São Paulo, mas havia sido emprestado ao São Bento

O meia Daniel era jogador do São Paulo, mas havia sido emprestado ao São Bento
São Paulo FC

No dia 27 de outubro de 2018, a Polícia Civil de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, recebeu um chamado sobre um corpo encontrado em uma mata na zona rural da cidade.

Veja mais: Morre Daniel, meia do São Paulo emprestado para o São Bento

Ao chegar ao local, os policiais de plantão naquele sábado se depararam com uma cena chocante: o morto era um jovem, aparentemente de 25 anos, com o pescoço degolado, o pênis decepado e muitos outros ferimentos. Sem identidade, o corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) da cidade.

O crime, registrado inicialmente como morte a esclarecer, era uma absoluta incógnita. Pouco se sabia sobre o que teria ocorrido com aquela vítima. Mais tarde, no IML, familiares de um esportista que estava desaparecido havia mais de 24 horas reconheceram o corpo.

Foi então que a bomba foi divulgada: descobriu-se que a vítima era o promissor jogador de futebol Daniel Corrêa, de 24 anos, atleta do São Paulo, que estava emprestado ao São Bento, clube do interior paulista. 

As lesões nos joelhos, efeitos da carreira nos gramados, além da inexistência de tatuagens, foram determinantes para que os parentes o reconhecessem.

Veja mais: Morte do meia Daniel tem sinais de tortura, diz Guarda Municipal

A notícia da morte de Daniel, que disputava Série B do Campeonato Brasileiro, abalou os bastidores do futebol brasileiro. O caso ganhou repercussão internacional. Clubes e jogadores, que haviam sido colegas de clube de Daniel, postaram mensagens de condolências nas redes sociais.

COSME RÍMOLI: O bárbaro assassinato de Daniel choca os jogadores do São Paulo

Com o passar dos dias, a polícia apurou que Daniel havia deixado Sorocaba na sexta-feira anterior, liberado pelo clube devido a uma lesão, para participar de uma festa de aniversário em Curitiba.

Edison, Allana e Cristiana Brittes: família está presa

Edison, Allana e Cristiana Brittes: família está presa
Reprodução/Instagram

A aniversariante era a Allana Brittes, que completava 18 anos naquela data. Ela era amiga de Daniel há pelo menos um ano. Os pais da jovem, Edison e Cristiana Brittes, tinham fechado um camarote na casa noturna Shed Bar, no Batel, um bairro boêmio da capital paranaense, onde celebraram a data. Entre os convidados, estava o jogador de futebol.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

No entanto, a comemoração não terminou na boate. Por volta das 5 horas da manhã daquele sábado, um grupo de aproximadamente dez pessoas, todos já bastante embriagados, decidiu fazer um after party na residência dos Brittes, em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba).

Daniel também foi. O jogador pegou carona em um dos carros chamados através de aplicativos de transporte pelos demais convidados. Na casa, vídeos divulgados nas redes sociais mostram que todos continuaram bebendo, dançando e se divertindo. Porém, em algum momento, já na manhã do sábado, Cristiana Brittes decidiu ir para o quarto e descansar. Daniel foi atrás. E se deitou na cama do casal anfitrião.

Daniel na cama de Cris Brittes

Daniel na cama de Cris Brittes
Reprodução

Sexo, traição e vingança: por que o jogador Daniel foi assassinado

O atleta, que estava de cueca, tirou fotos com o celular e as enviou a amigos em grupos de Whatsapp. Nas mensagens, Daniel dizia que o marido não estava na casa e dava a entender que faria sexo com a mulher.

Porém, o jogador foi flagrado pelo empresário. Outros rapazes que estavam na festa foram chamados por Edison Brittes. Segundo relatos à polícia, eles pensavam que Cristiana havia sido estuprada e passaram a agredir violentamente Daniel, juntamente com o dono da casa. O jogador implorou pela vida. Em vão.

Veja mais: ‘Mexeu com mulher de bandido e vai morrer’

Já muito machucado, quase desacordado, Daniel foi retirado da casa e colocado no porta-malas do carro de Edison, um modelo Hyundai Veloster. Mais três jovens (David Willian, Ygor King e Eduardo da Silva), também entraram no veículo. Todos partiram para o ponto onde Daniel foi executado e o corpo desovado.

Veja mais: ‘Eles saíram para desovar o corpo’, diz promotor de Caso Daniel

A partir daí, algumas versões surgiram e todas as teorias passaram a ser investigadas pela polícia. A teoria de que o assassinato teria motivação passional já era tratada pela polícia como a mais provável desde o início, devido às características da execução.

O empresário Edison Brittes confessou o crime. Ele contou aos policiais que matou Daniel porque o jogador havia estuprado sua esposa. Era um crime em defesa da honra e da família, disse o acusado em depoimento gravado em vídeo por seu advogado.

Dias depois do homicídio brutal, Edison, Allana e Cristiana Brittes foram flagrados por câmeras de segurança de um shopping na cidade onde moram. Eles chamaram os rapazes envolvidos para combinar uma história que deveria ser confirmada aos policiais.

Mas, uma das testemunhas, temendo pela vida, procurou um advogado e contou detalhes do que havia ocorrido na residência dos Brittes. O rapaz estava sendo ameaçado, assim como outras pessoas da família. Hoje, ele está sob proteção policial.

Com os depoimentos, os investigadores passaram a apurar os fatos. Suspeitos foram presos e pessoas que haviam sido ouvidas como testemunhas também foram indiciadas. No total, oito envolvidos no crime foram processados e respondem judicialmente.

Relembre como ficou a individualização das condutas criminosas na denúncia do Ministério Público do Paraná, que foi aceita pela Justiça:

Edison Brittes — homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e coação no curso do processo;

Cristiana Brittes — homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;

Allana Brittes — coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor;

Eduardo da Silva — homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;

Ygor King — homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;

David Willian da Silva — homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;

Evellyn Brisola Perusso — denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.

Situação atual dos réus

Dos envolvidos no crime, apenas Eduardo Purkote e Evellyn Brisola aguardam os trâmites do processo em liberdade. Os demais estão presos. Cristiana — que teve um pedido de prisão domiciliar negado pela Justiça — e Alana estão na Penitenciária Feminina do Paraná, em Piraquara, na Grande de Curitiba. Edison, David, Ygor e Eduardo estão detidos na Casa de Custódia de São José dos Pinhais.

Parentes de David e Ygor pediram desculpas à mãe de Daniel pela morte do jogador de futebol. Os próprios jovens demonstraram arrependimento por terem se envolvido com Edison Brittes e tristeza pelo destino de Daniel. Um deles escreveu uma carta à irmã, na qual admite que “foi covarde, teve medo e não soube o que fazer”.

Veja mais: ‘Lugar, hora e pessoas erradas’, diz advogado de réus no Caso Daniel


Arte/R7

Próximos passos

A 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, onde corre o processo, aguarda o fim do recesso do Judiciário para retomar os trabalhos e marcar as primeiras audiências. Se todos os prazos forem cumpridos, é possível que o julgamento dos réus ocorra ainda no primeiro semestre de 2019.

“Não são prazos longos. Mas há várias circunstâncias que dão elasticidade e complexidade para o processo, como o excesso de testemunhas e a catimba da defesa”, avaliou o promotor João Milton Salles, autor da denúncia feita pelo Ministério Público paranaense á Justiça, em entrevista ao R7.

Relembre fatos sobre o assassinato do jogador Daniel em 20 imagens

 

Conheça o robô que enrola e fatia sushis de um restaurantes em NY

Restaurante vende sushis enrolados e fatiados por máquinas

Restaurante vende sushis enrolados e fatiados por máquinas
Reprodṳ̣o/Instagram Р@gobigeyesushi

O restaurante Big Eye Sushi, em Nova York, nos Estados Unidos, chama a atenção dos clientes pelo modo de preparo dos pratos típicos da culinária japonesa. O local conta com a ajuda de um robô para enrolar e fatiar sushis com perfeição e agilidade.

Segundo o restaurante, o robô consegue fazer até 400 sushis em apenas uma hora de trabalho. No entanto, ainda é preciso que im funcionário do restaurante prepare e coloque os ingredientes na ordem correta para o preparo. 

Empresa testa convivência entre cães-guia e robôs pelas ruas

Um shushiman fatia o peixe manualmente e prepara o arroz que será usado pelo robô da maneira tradicional, como em qualquer restaurante. 

A máquina separa a porção de arroz que será usada e em seguida são colocados os ingredientes que devem ser enrolados. Após poucos segundos, tudo está pronto para ser fatiado em oito partes iguais automaticamente.

Há também uma máquina que prepara pequenos bolinhos de arroz que são cobertos por fatias do peixe escolhido pelo cliente. Neste caso, o processo também depende de um funcionário para concluir o preparo do pedido.

Leia também: Robô anda, pisca, fala e assusta por tamanha semelhança com humanos

 

Napoli reclama de racismo de torcida em Milão e diz que pediu interrupção de jogo

O Napoli foi derrotado pela Internazionale por 1 a 0, nesta quarta-feira, em Milão, pelo Campeonato Italiano, com um gol nos acréscimos do segundo tempo, mas isso não foi a única coisa que chateou a todos no clube. A comissão técnica napolitana reclamou de racismo por parte da torcida adversária no estádio Giuseppe Meazza e diz que pediu por três vezes a interrupção do jogo.

Os gritos racistas, de acordo com os napolitanos, foram direcionados ao zagueiro senegalês Kalidou Koulibaly desde o primeiro tempo. Torcedores imitavam um macaco toda vez que o defensor tocava na bola. “Pedimos três vezes a suspensão da partida. Houve três anúncios (no sistema de som) no estádio. Mas a partida continuou”, reclamou o técnico Carlo Ancelotti em entrevista à TV Sky.

Nervoso, o zagueiro do Napoli foi expulso aos 36 minutos do segundo tempo. No lance, Koulibaly fez falta em Politano e recebeu o cartão amarelo. Na sequência, começou a bater palmas para o árbitro, que entendeu o gesto como uma ironia e então mostrou o vermelho direto.

“O jogador (Koulibaly) estava nervoso, seu humor não era o melhor. É um jogador muito correto e muito profissional. Não é algo dele, mas estava agitado, nervoso. Isso não é bom para nós e para o futebol italiano”, afirmou Ancelotti. “Há uma solução: tem que parar a partida. Tem que ser na hora do anúncio”, completou.

PGR pede ao STF manutenção da prisão preventiva de João de Deus

Em depoimento, ele afirmou não se lembrar das mulheres

Em depoimento, ele afirmou não se lembrar das mulheres
Ernesto Rodrigues/Estaḍo Conte̼do Р16.12.2018

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou nesta quarta-feira, 26, petição ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que defende a manutenção da prisão preventiva do médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus. Ele está preso no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia desde o dia 16 deste mês acusado de abusar sexualmente de mulheres que eram atendidas na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO).

Na semana passada, a Polícia Civil concluiu o primeiro inquérito contra João de Deus e pediu seu indiciamento por violação sexual mediante fraude.

Na manifestação encaminhada ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli, responsável pelas decisões durante o recesso do Judiciário, a procuradora defende a manutenção da prisão por haver risco de fuga e intenção do médium de dificultar as investigações. Ela cita as movimentações financeiras feitas por ele.

Dodge aponta também que nem o Tribunal de Justiça de Goiás nem o Superior Tribunal de Justiça (STJ) analisaram ainda o mérito de habeas corpus apresentado pela defesa do líder religioso. A PGR pediu também a suspensão do sigilo do caso.

Em depoimento prestado nesta quarta-feira, João de Deus disse que “não se lembra” das mulheres que o acusam de abuso sexual. Para o criminalista Alberto Zacharias Toron, que defende o médium, é justificável que ele não se recorde do nome das mulheres que o acusam.

“Ele recebia entre 1.000 a 1.500 pessoas todos os dias. Foi perguntado a ele, especificamente, sobre três mulheres. Ele respondeu, logicamente, que não se recordava delas”, informou Toron.

Antes de a PGR encaminhar a manifestação ao Supremo, Toron disse que não entendia o motivo de manter João de Deus em prisão preventiva, que bastaria “domiciliar com tornozeleira”.

Vídeo revela quem venceria luta entre Thanos e Darkseid

Thanos e Darkseid, pertencentes aos universos da Marvel e da DC, respectivamente, são dois dos vilões mais poderosos dos quadrinhos e sempre causam um grande estrago quando decidem enfrentar seus arqui-inimigos — no caso, os super-heróis que tanto conhecemos e gostamos. E que tal se os dois se enfrentassem em um combate digno de Dragon Ball, com muita destruição e caos — quem levaria a melhor?

Tendo isso em mente, o canal do YouTube preparou um verdadeiro estudo por meio de histórias em quadrinhos dos dois personagens — e filmes, no caso de Thanos –, a fim de chegar à conclusão de quem venceria essa luta, apelidada de “batalha mortal” (via ComicBook). Assista abaixo, em inglês:

Leia mais: Estalo de dedos de Thanos tem um nome e é brutal

No fim das contas, Darkseid é quem ficaria de pé por último, segundo o vídeo. Por mais forte que o Titã Louco seja, a ponto de exterminar metade da humanidade com um mero estalo (com ajuda da Manopla do Infinito), O Tirano é um Novo Deus, cerca de 28 octilhões de vezes mais rápido, além de possuir habilidades mais numerosas e variadas.

Vale ressaltar que Thanos precisa da Manopla do Infinito para aumentar seu poder, mas ela provavelmente não funcionaria no universo da DC, dando uma certa vantagem a Darkseid. Caso o confronto fosse na “casa” de Thanos, isto é, no universo da Marvel, a Manopla funcionaria normalmente, mas ainda asim Darkseid permaneceria imune ao poder do artefato, pelo simples fato de que sua verdadeira forma estaria no Quarto Mundo, em outro universo.

Em suma, ambos são extremamente poderosos e herói nenhum quer ter de enfrentá-los. No entanto, o que os diferencia é que um deles precisa de um objeto para se tornar um deus, enquanto o outro é um deus de nascença.

Darkseid nunca apareceu nos filmes da DC Comics. Thanos, por outro lado, tem sido um personagem recorrente, principalmente em Vingadores: Guerra Infinita, onde foi protagonista. O vilão voltará a aparecer em Vingadores: Ultimato, que estreia em 25 de abril de 2019.

Inscreva-se no canal do IGN Brasil no Youtube e visite as nossas páginas no Facebook, Twitter, Instagram e Twitch!

Grupo faz campanha por Nobel da Paz a prefeito de Riace

Mimmi criou "bolsa trabalho" para imigrantes

Mimmi criou “bolsa trabalho” para imigrantes
Yara Nardi/Reuters – 6.10.2018

Membros da sociedade civil e ONG italianas organizam uma campanha para indicar o prefeito de Riace, Domenico “Mimmo” Lucano, ao Prêmio Nobel da Paz de 2019.

A cidade do sul da Itália promoveu a integração de refugiados à economia local, em modelo que é combatido pelo governo da ultranacionalista Liga, liderado pelo vice-premier e ministro do Interior italiano, Matteo Salvini.

Lucano ganhou fama internacional por seus projetos de acolhimento de migrantes e refugiados. Suas ações o fizeram entrar, em 2016, na lista dos 50 maiores “líderes” do mundo da revista “Fortune”.

Em seus mandatos, ele ofereceu casas abandonadas e treinamento profissional a estrangeiros, além de uma “bolsa trabalho”, ajudando a recuperar a economia de Riace, afetada pelo esvaziamento populacional que atinge muitos vilarejos italianos. A pequena cidade fica na região da Calábria e tem 2,3 mil habitantes.

Esses projetos, no entanto, correm o risco de desaparecer por causa do bloqueio de repasses imposto pelo Ministério do Interior, que ainda não enviou recursos para a cidade em 2018.

Lucano foi obrigado pela Justiça a exilar-se da cidade para “impedir a reincidência do crime de imigração ilegal”. Ele é investigado por suspeita de ter facilitado casamentos forjados para garantir a permanência no país de migrantes em situação irregular. O Ministério do Interior ainda o acusa de irregularidades no uso de recursos nacionais para financiar projetos de acolhimento.

“Os atos judicias praticados contra Lucano parecem ser uma uma clara tentativa de pôr termo a uma experiência que contrasta claramente com as atividades de governos que se opõem à recepção e inclusão de refugiados e mostram tolerância em casos de atividades fraudulentas postas em prática em centros de acolhimento de toda a Itália em uma região em que o crime organizado, muitas vezes opera impunemente”, diz um comunicado do grupo de instituições, que inclui ONGs como a “Comunitá di Base di San Paolo”, a “Recosol”, a “Left” e a “ISDEE”.

Dudu é capa da Forbes como um dos talentos com menos de 30 anos

Lance

Lance
Lance

A revista Forbes colocou o atacante do Palmeiras Dudu na capa da edição brasileira que trará, a partir do dia 3 de janeiro, a lista “Under 30”. A relação traz as personalidades nacionais com menos de 30 anos que são destaques na sociedade em diferentes áreas, por critérios como relevância, influência, ousadia e talento. Além do palmeirense, de 26 anos, outros dois personagens do futebol integram o rol de influentes, Vinicius Júnior, do Real Madrid, de 18 anos, e Rodrygo, do Santos a caminho do mesmo clube espanhol, com 17 anos.

A skatista Leticia Bufoni, de 25 anos, uma das esperanças de medalha do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 também foi lembrada entre os esportistas, assim como Felipe Fraga, piloto mais jovem campeão da história da Stock Car no Brasil, em 2016, hoje com 23 anos. Completa a lista o jogador de vôlei e medalha de ouro na Rio 2016, Douglas Souza, de 23 anos, hoje atuando no Sesi.

Um júri técnico analisou nomes indicados pelos leitores da revista e elegeu seis nomes para cada categoria, com base em critérios como faturamento, criatividade, ineditismo, benefícios sociais reais e projetados, número de pessoas impactadas e potencial.

Outras áreas contempladas foram arte e estilo, ciência e educação, direito e política, entretenimento, finanças, gastronomia, indústria, marketing, mídia, música, tecnologia, terceiro setor, varejo e e-commerce e web. No total foram 90 personalidades.

‘Não sou laranja, sou trabalhador’, diz ex-assessor de filho de Bolsonaro

Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro, afirmou nesta quarta-feira (26) que ele não cometeu irregularidades depois que o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) identificou uma movimentação financeira atípica dele.

“Não sou laranja, sou um homem trabalhador”, disse em entrevista exclusiva ao Jornal do SBT.

Queiroz, que também é policial da reserva, contou que recebe, mensalmente, cerca de R$ 24 mil, mas que possui complementos de renda vindos de negócios antigos. “Eu sou um cara de negócios, eu faço dinheiro. Compro e vendo carro. Sempre fui assim”, disse.

O Coaf estava investigando a movimentação de funcionários da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) a pedido do Ministério Público e identificou que Queiroz tinha movimentado cerca de R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, valores que não condizem com seu rendimentos oficiais.

Além disso, a investigação descobriu que ele havia depositado cerca de R$ 24 mil na conta da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O presidente eleito Jair Bolsonaro havia dito que os valores eram referentes ao pagamento de um empréstimo. Queiroz confirmou a versão, dizendo que ele havia depositado seis cheques de R$ 4.000 — e não o valor total.

No entanto, o ex-assessor não explicou porque recebia dinheiro de outros funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro, incluindo suas próprias filhas. Ele disse que já prestou declarações ao deputado estadual e contará a mesma história ao Ministério Público.

Queiroz disse ainda que sua filha, registrada no gabinete do deputado, não comparecia à Alerj porque a estrutura do prédio não comporta todos os funcionários juntos. “Não tem como ficar na Alerj, não tem espaço para todos funcionários. Minha filha sempre cuidou da mídia”, esclareceu.

Doenças

O policial militar ainda falou sobre as doenças que o teriam impedido a prestar esclarecimentos anteriormente.

Segundo ele, o médico o diagnosticou com um tumor no intestino. Queiroz afirmou que precisa passar por exames complementares para saber se o tumor é maligno ou benigno, mas seu médico não tinha alimentado as esperanças.

“[Tenho] dores crônicas e [houve] o aparecimento de um tumor […] no intestino, tumor grande. […] Eu não estou fugindo, quero prestar os esclarecimentos”, finalizou.

The Mandalorian: Série pode ter personagem clássico de Star Wars

The Mandalorian, futura série de Star Wars com roteiro de Jon Favreau (também produtor executivo), poderá contar com a presença de IG-88, um dos personagens da primeira trilogia de George Lucas.

Por meio do Instagram, Favreau publicou uma foto do caçador de recompensa com uma tela verde de fundo e sob a legenda “Feliz Natal”, dando esperanças aos fãs de uma participação do droide no seriado. Veja abaixo:

Leia mais: Compositor de Pantera Negra vai produzir trilha sonora de The Mandalorian

IG-88 é um modelo de droide assassino e teve, ao todo, quatro réplicas, sendo o IG-88B a mais famosa delas. O droide se tornou um dos maiores caçadores de recompensas da galáxia e participou da captura de Han Solo, em Star Wars: O Império Contra-Ataca (1980).

The Mandalorian está atualmente em produção. Vários diretores foram confirmados para episódios individuais, incluindo Dave Filoni, Deborah Chow, Rick Famuyiwa, Bryce Dallas Howard e Taika Waititi, de Thor: Ragnarok.

Pedro Pascal, de Game of Thrones e Narcos, será o protagonista ao lado deGina Carano (Deadpool). Giancarlo Esposito, Emily Swallow, Carl Weathers, Omid Abtahi, Werner Herzog e Nick Nolte completam o elenco.

A primeira temporada de The Mandalorian terá 10 episódios e será lançada em algum momento de 2019, exclusivamente no Disney+, novo serviço de streaming da empresa.

Inscreva-se no canal do IGN Brasil no Youtube e visite as nossas páginas no Facebook, Twitter, Instagram e Twitch!

Gol devolve 13 aviões Boeing 737, estima redução de R$1,1 bi na dívida líquida

SÃO PAULO (Reuters) – A companhia aérea Gol anunciou nesta quarta-feira a devolução de 13 aeronaves Boeing 737 NGs, movimento que deve render à empresa uma redução de 1,1 bilhão de reais da dívida.

“As monetizações das nossas aeronaves 737-800 NGs permitem a Gol acelerar a redução da alavancagem em seu balanço”, afirmou em nota o vice-presidente financeiro da empresa, Richard Lark.

Com a transação, a Gol prevê redução de 510 milhões de reais em dívida de arrendamento financeiro e um aumento de 580 milhões de reais em liquidez caixa.

O contrato foi feito com a Castlelake e Apollo Aviation.

Os aviões serão removidos da frota de forma programada no período de 2019 e 2021. Segundo a Gol, as aviões serão trocados na frota nos próximos anos por aeronaves Boeing 737 MAX-8.

“A Gol manterá sua disciplina de capacidade e esta transação reforça a flexibilidade do plano de frota”, afirmou o vice-presidente de planejamento da Gol, Celso Ferrer.

Segundo a companhia, a devolução de aviões não impactará sua operação, uma vez haverá a chegada das aeronaves 737 MAX-8 de seu pedido com a Boeing e recentes arrendamentos operacionais diretos de 11 aeronaves 737 MAX-8.

“O 737 MAX será a espinha dorsal da frota da Gol, aumentando o número de assentos médios por aeronave e mantendo o custo por assento em níveis muito baixos”, diz o texto.

A Gol estima que até 2023 mais de 40 por cento da frota será composta por 737 MAX e nos próximos cinco anos a transição para este novo equipamento deverá aumentar a produtividade em 24 por cento e reduzir o consumo de combustível.

“Além de menor consumo de combustível, o aumento do alcance do 737 MAX permite à Gol diversificar ainda mais sua malha aérea e operar voos internacionais para Estados Unidos e México”, diz o documento.

None

(Por Aluísio Alves)